Crescimento de salários na zona do euro atingirá pico no início de 2024, mostra nova ferramenta do BCE

FRANKFURT (Reuters) - O crescimento dos salários na zona do euro deve atingir um pico no início deste ano, mas a trajetória futura permanece incerta, mostrou nesta sexta-feira uma nova ferramenta de previsão desenvolvida pelo Banco Central Europeu.

O BCE destacou os salários como a variável mais importante para determinar se poderá começar a reduzir as taxas de juros e dar um tempo na luta contra a inflação alta.

Seu novo rastreador de salários, detalhado pela primeira vez em um documento publicado nesta sexta-feira, mostrou que o crescimento da remuneração deve atingir um pico de cerca de 5% no início deste ano.

Mas ainda não se sabe se e com que rapidez os aumentos salariais voltarão a cair para o nível de 3% que o BCE considera compatível com sua meta de inflação de 2%.

"As negociações no primeiro trimestre de 2024 provavelmente serão decisivas para a evolução das pressões salariais em 2024", escreveram os autores do estudo.

Citado com frequência pelo economista-chefe do BCE, Philip Lane, o novo rastreador do BCE usa dados de acordos salariais individuais na Alemanha, França, Itália, Espanha, Holanda, Áustria e Grécia para estimar as pressões salariais e avaliar o sentimento.

O BCE tenta então prever o crescimento futuro dos acordos salariais com base na forma como as principais variáveis macroeconômicas tendem a prever os acordos salariais em cada país.

(Reportagem de Francesco Canepa)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes