Yellen vê progresso na luta contra inflação nos EUA, apesar de dados mais quentes do IPC

Por David Lawder

WASHINGTON (Reuters) - A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, disse na terça-feira que os dados do índice de preços ao consumidor de janeiro mostraram progresso na luta contra a inflação, apesar de um aumento no custo de moradia que elevou o índice mais do que o previsto pelos economistas.

Yellen, falando durante um evento em um hospital de Pittsburgh, concentrou-se no valor da inflação anual do IPC de 3,1%, e não no surpreendente aumento mensal de 0,3% em janeiro.

"O relatório do IPC desta manhã mostrou que, em janeiro, o índice de preços ao consumidor caiu para 3,1%. Isso está seis pontos percentuais abaixo de seu pico em junho de 2022", disse ela. "Ao mesmo tempo, a recessão que muitos analistas previram que precisaríamos para ver a inflação cair não se concretizou."

A leitura da inflação ao consumidor mais alta do que o esperado ajudou a derrubar as ações em Wall Street, afastando as expectativas do mercado de cortes nas taxas de juros do Federal Reserve.

Os dados foram, de certa forma, contrários à narrativa recente de Yellen de que uma "aterrissagem suave" da economia dos EUA estava em andamento, com a inflação controlada e o crescimento dos salários superando os preços impulsionados pela alta inflação pós-pandemia.

(Reportagem de David Lawder)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes