PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Ibovespa fecha em queda em meio a incertezas sobre governo Trump

17/05/2017 17h23

Depois de seis dias de alta consecutiva, o Ibovespa sucumbiu ao aumento da aversão aos ativos de risco. As incertezas sobre o governo do presidente americano Donald Trump deixaram os investidores mais cautelosos, que aproveitaram para realizar os lucros recentes. O Ibovespa fechou com queda de 1,67% aos 67.540 pontos e giro financeiro de R$ 8,3 bilhões, inflado pelo vencimento de opções sobre o Ibovespa.


O índice que mede a volatilidade das ações de empresas brasileiras subiu 11,98% hoje para 36,09 pontos. O dado medido pelo CBOE Brazil ETF Volatility é o maior desde 15 de dezembro do ano passado, quando o indicador marcou 35,92 pontos. "A bolsa caiu, reagindo ao noticiário dos Estados Unidos e passando por um movimento de realização de lucros", diz Ari Santos, gerente de mesa Bovespa da H.Commor DTVM. No mês, o Ibovespa tem alta de 3,27%.


A queda da bolsa de valores só não foi mais intensa porque o preço das commodities no mercado internacional subiu e impediu que os papéis da Vale e da Petrobras registrassem quedas expressivas. Como as ações dessas empresas representam 17,55% da composição do Ibovespa, ajudaram a impedir uma maior desvalorização do principal índice da bolsa de valores.


O preço do minério de ferro subiu 1,7% no porto de Qingdao, na China, para US$ 62,20 a tonelada. As ações PNA da Vale caíram 1,93% e os papéis ordinários tiveram baixa de 1,54%. Os contratos futuros de petróleo WTYI com vencimento em junho subiram 0,84% para US$ 49,07 o barril. As ações preferenciais da Petrobras caíram 0,57% e as ações ordinárias tiveram baixa de 0,56%. As ações do sistema financeiro também fecharam em baixa, com destaque para os papéis do Banco do Brasil, que recuaram 2,71%.


O presidente americano, Donald Trump, admitiu ter repassado à Rússia, em encontro com diplomatas, informações confidenciais sobre a luta contra o Estado Islâmico. O deputado republicano Justin Amash, do Michigan, disse que há mérito para o impeachment de Trump se comprovado que ele pediu ao ex-diretor do FBI James Corney para encerrar uma investigação federal.


Hoje, Trump disse que "nenhum político na história" foi tratado de maneira tão má e injusta quanto ele. Em discurso em uma cerimônia de formatura da Academia da Guarda Costeira, no Estado americano de Connecticut, ele evitou tratar das polêmicas mais recentes de sua administração.