Dólar opera em baixa e ronda R$ 3,14

O câmbio doméstico brasileiro apresenta desempenho diário mais positivo que da maioria dos pares emergentes.No Brasil, a divisa americana registra uma trajetória consistente de baixa neste mês, ainda que já dê sinais de fôlego limitado para continuar o movimento de maneira robusta.


A semana traz dois eventos no exterior que podem servir de catalisar para o câmbio global. Na quarta-feira, o Federal Reserve (Fed, banco central americano) anuncia sua decisão de política monetária, em meio à baixa expectativa de alterações em seus principais parâmetros de atuação. O entendimento do mercado de que o Fed têm pouca justificativa para conduzir um aperto monetário mais duro ou mesmo elevar juros novamente neste ano tem contribuído para a reprecificação global - em níveis menores - da moeda dos Estados Unidos.


Ainda no exterior, a sexta-feira conta com a divulgação do desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA. Caso os números do segundo trimestre decepcionem, os agentes financeiros comentam que seria possível nova rodada de baixa do dólar. Por outro lado, pode haver pressão de alta no caso de uma surpresa de crescimento mais acelerado que o esperado. Também não está descartada uma eventual correção da atual queda da divisa.


Por volta das 10 horas, o dólar comercial cedia 0,10%, a R$ 3,1389.


Já o contrato futuro para agosto marcava R$ 3,14, baixa de 0,25%.


Na renda fixa, em semana de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), o DI janeiro/2018 operava a 8,520%, ante 8,535% no ajuste anterior, e o DI janeiro/2019 marcava 8,390%, ante 8,400% no ajuste anterior.


O DI janeiro/2021, por sua vez, subia a 9,480%, ante 9,440%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos