Bolsas

Câmbio

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://economia.uol.com.br/album/2013/01/14/veja-como-e-produzido-o-guarana.htm
  • totalImagens: 22
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20130114153053
    • como é feito [72559];
Fotos

O famoso refrigerante de guaraná é produzido com frutas originárias da Amazônia. Do meio da floresta até o consumidor final, a fruta passa por várias transformações. Confira, a seguir, como é o processo de fabricação da bebida Arte/UOL Mais

O Guaraná Antarctica foi lançado há quase 100 anos, em 1921. Até hoje, a fabricante diz utilizar a mesma receita e conta que a "fórmula secreta" só é conhecida atualmente por dois funcionários, que não têm a identidade revelada. Essa fórmula é feita em salas-cofres da empresa em Manaus (AM) e Guarulhos (SP) Divulgação/Ambev Mais

A base do refrigerante é o fruto do guaraná, originário da floresta amazônica. Quando maduro, o fruto parece um olho humano. Bruno Kelly/Reuters Mais

A maioria dos produtores se concentram em Maués, município a 270 km de Manaus, com pouco mais de 50 mil habitantes --grande parte vivendo da renda gerada pela venda do guaraná. Ele pode ser consumido "in natura", mas a população amazônica não costuma fazer isso, pois o sabor da fruta não é agradável Bruno Kelly/Reuters Mais

A Ambev tem, em Maués (AM), uma fazenda de 1.007 hectares, tamanho equivalente a mil campos de futebol. No local, a empresa faz experiências para melhorar o plantio da fruta e mantém um banco genético da espécie Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Por meio do cruzamento de plantas, a empresa cria mudas 'melhoradas'. A cada ano, cerca de 60 mil mudas são doadas aos produtores locais para o plantio Divulgação/Ambev Mais

Cerca de mil produtores fazem o plantio dos guaranazais. Cada planta demora de três a cinco anos para dar frutos Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

A colheita do fruto é feita manualmente, entre outubro e fevereiro Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Após a colheita, os produtores separam o grão, que é a parte preta da fruta Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Muitos produtores usam os pés para separar a semente, técnica semelhante à utilizada na fabricação de vinhos Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Em seguida, as sementes são lavadas num tanque d'água. Com uma espécie de cesta, os produtores separam as sementes das outras partes da fruta Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Após a lavagem, o guaraná é torrado em tachos de barro nas próprias fazendas Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

O grão torrado do guaraná tem a aparência e o cheiro semelhantes ao do café torrado Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Cada pequeno produtor rural consegue vender, em média, 1 tonelada do grão torrado por ano. Os grãos são transportados de barco por meio dos rios da região. Além dos barcos, a única forma de chegar em Maués (AM) é de avião Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Os produtores separam os grãos em sacas de 40 quilos, que podem ficar armazenadas por até dois anos Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

O processo industrial começa na fábrica de extratos, também em Maués (AM). O grão torrado é moído e, depois, usado para a fabricação de um extrato. Forte e concentrado, esse extrato é a base do refrigerante Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

O extrato é, então, enviado para a fábrica de aromas, em Manaus (AM). Lá ele passa por diversas avaliações Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Depois de "aprovado", o extrato é misturado a outros ingredientes da "fórmula secreta", como essências, corantes, aromas e óleos naturais. Desse processo, surge o concentrado líquido do guaraná Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

A fábrica de Manaus envia esse concentrado, de caminhão-tanque, para outras 30 fábricas espalhadas pelo país Fernando Cavalcanti/Ambev Mais

Nas fábricas, o concentrado é misturado ao xarope de guaraná, e já fica com um sabor mais doce e próximo da finalização. A colocação do gás carbônico, que dá o efeito espumante, é a parte final da produção Leonardo Soares/UOL Mais

Depois de pronta, a bebida é envasada em garrafas ou latinhas, e recebe o rótulo do refrigerante Renato Stockler/Folha Imagem Mais

A bebida está pronta para ser distribuída. O Guaraná Antarctica é a segunda marca de refrigerante mais vendida no país, atrás da Coca-Cola. Além do Brasil, a marca está presente em países como Portugal, França, Espanha, Inglaterra, Japão e Estados Unidos Leonardo Soares/UOL Mais

Veja como é produzido o refrigerante de guaraná

Últimos álbuns de Economia

UOL Cursos Online

Todos os cursos