Bolsas

Câmbio

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://economia.uol.com.br/album/2016/02/26/plano-cruzado-completa-30-anos-veja-as-cedulas.htm
  • totalImagens: 14
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20160226173832
    • Real [35601]; Dinheiro [13305]; Economia [22373]; Moedas [13398];
Fotos

O Plano Cruzado foi lançado em 28 de fevereiro de 1986, no governo de José Sarney (PMDB). A moeda de então, o cruzeiro, teve três zeros cortados e passou a se chamar cruzado. No começo, como ainda não havia cédulas de cruzado, as próprias notas de cruzeiro foram "adaptadas" com o uso de um carimbo. Na foto acima, 10.000 cruzeiros viraram 10 cruzados. Clique nas fotos e veja outros exemplos Reprodução/Banco Central Mais

O cruzeiro teve três zeros cortados e passou a se chamar cruzado. No começo, como ainda não havia cédulas de cruzado, as próprias notas de cruzeiro foram "adaptadas", com o uso de um carimbo. Na foto acima, 10.000 cruzeiros, que viraram 10 cruzados Reprodução/Banco Central Mais

A cédula de 10 cruzados, lançada em 1986, manteve a mesma imagem que a antiga cédula de 10.000 cruzeiros: o retrato do político e escritor brasileiro Rui Barbosa (1849-1923) ao lado de sua mesa de trabalho Reprodução/Banco Central Mais

A cédula de 10 cruzados, lançada em 1986, trazia também a imagem de Rui Barbosa discursando na 2ª Conferência da Paz, realizada em Haia, em 1907 Reprodução/Banco Central Mais

O cruzeiro teve três zeros cortados e passou a se chamar cruzado, em 1986. No começo, como ainda não havia cédulas de cruzado, as próprias notas de cruzeiro foram "adaptadas", com o uso de um carimbo. Na foto acima, 50.000 cruzeiros, que viraram 50 cruzados Reprodução/Banco Central Mais

O cruzeiro teve três zeros cortados e passou a se chamar cruzado, em 1986. No começo, como ainda não havia cédulas de cruzado, as próprias notas de cruzeiro foram "adaptadas", com o uso de um carimbo. Na foto acima, 50.000 cruzeiros, que viraram 50 cruzados Reprodução/Banco Central Mais

A cédula de 50 cruzados, lançada em 1986, manteve a mesma imagem que a antiga cédula de 50.000 cruzeiros: o retrato do médico e sanitarista brasileiro Oswaldo Cruz (1872-1917) Reprodução/Banco Central Mais

A cédula de 50 cruzados, lançada em 1986, manteve a mesma imagem que a antiga cédula de 50.000 cruzeiros: a vista do edifício principal do Instituto Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, construído pelo médico e sanitarista de mesmo nome Reprodução/Banco Central Mais

O cruzeiro teve três zeros cortados e passou a se chamar cruzado, em 1986. No começo, como ainda não havia cédulas de cruzado, as próprias notas de cruzeiro foram "adaptadas", com o uso de um carimbo. Na foto acima, 100.000 cruzeiros, que viraram 100 cruzados Reprodução/Banco Central Mais

O cruzeiro teve três zeros cortados e passou a se chamar cruzado. No começo, como ainda não havia cédulas de cruzado, as próprias notas de cruzeiro foram "adaptadas", com o uso de um carimbo. Na foto acima, 100.000 cruzeiros, que viraram 100 cruzados Reprodução/Banco Central Mais

A cédula de 100 cruzados, lançada em 1986, manteve a mesma imagem que a antiga cédula de 100.000 cruzeiros: o retrato do ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902-1976), ao lado de imagens representando realizações de seu governo, como energia elétrica, transportes e agricultura Reprodução/Banco Central Mais

A cédula de 100 cruzados, lançada em 1986, manteve a mesma imagem que a antiga cédula de 100.000 cruzeiros: em primeiro plano, os prédios que compõem o Congresso Nacional; ao fundo, à esquerda, o "Catetinho", primeira residência oficial de JK; ao fundo, à direita, vista do Palácio da Alvorada Reprodução/Banco Central Mais

Lançada em outubro de 1986, a nota de 500 cruzados homenageou o compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos (1887-1959), ao lado de vitórias-régias representando a Amazônia Reprodução/Banco Central Mais

Lançada em outubro de 1986, a nota de 500 cruzados homenageou o compositor Heitor Villa-Lobos (1887-1959), tendo ao fundo uma floresta brasileira, fonte de inspiração permanente do artista, baseada em gravura do pintor alemão Johann Moritz Rugendas Reprodução/Banco Central Mais

Plano Cruzado completa 30 anos; veja as cédulas

Últimos álbuns de Economia

UOL Cursos Online

Todos os cursos