Falar é fácil. Difícil é saber escutar e usar o silêncio na hora certa

Daniela do Lago

Daniela do Lago

  • iStock

Não basta ter ouvidos para ouvir o que o outro diz. Escutar é uma arte, porque nem todo mundo sabe como escutar de verdade. Escutar é processar o que se está escutando, dar um significado, e fazer um esforço para tentar compreender, e até mesmo se sentir no lugar do outro, a partir daquilo que está sendo compartilhado.

Existe uma incapacidade generalizada de ouvir de verdade o outro, e isso se dá pela manifestação da mais constante e sutil de nossa arrogância: "no fundo, somos mais interessantes".

Rubem Alves, em seu texto maravilhoso chamado "A Escutatória", trouxe uma reflexão sobre como sempre vemos anunciados cursos de oratória para falar bem em público. Todo mundo quer aprender a falar, mas ninguém quer aprender a escutar! Nunca vimos anunciado um curso de "escutatória". Se existisse esse curso, provavelmente ninguém iria se matricular.

A gente não aguenta ouvir o que o outro diz sem logo dar um palpite melhor, sem misturar o que ele diz com aquilo que a gente tem a dizer. Como se aquilo que a pessoa diz não fosse digno de consideração e precisasse ser complementado por aquilo que temos a dizer --que é, claro, muito melhor.

A falta dessa habilidade de escutar acontece também em leitura na internet, por exemplo. Muitas pessoas nem sequer terminam de ler o artigo ou a notícia para entender e interpretar o que foi escrito e já saem comentando, palpitando, julgando negativamente o pouco que leram.

Reparem que as estatísticas comprovam que os vídeos postados na internet que ultrapassam o tempo de dois minutos já se tornam desinteressantes para o público em geral. Afinal, todos estão sem paciência para ouvir.

Escutar é uma arte porque nos dá a oportunidade de conhecer outras realidades e de explorar emoções que nunca experimentamos, tudo isso a partir de diferentes ângulos. Escutar nos permite conhecer as pessoas e encontrar a melhor maneira de ajudá-las.

Vale a ressalva de que permanecer calado até que o outro acabe de falar não é escutar. Estar pensando no que vai dizer enquanto o outro comenta a sua ideia também não é escutar. É preciso silenciar por dentro.

O silêncio é poderoso

Muitas vezes, a escuta é apenas isso, escuta, silêncio, e não requer nenhuma intervenção depois. Por outro lado, é necessária uma proximidade, criar um espaço quase compartilhado para entender como a outra pessoa, que está contando sua história, se sente e, assim, poder se conectar com ela, criando mais cumplicidade e sintonia. E isso só é possível com interesse e paciência.

Nesse sentido, o silêncio, às vezes, diz muito mais que as palavras, e por isso é importante saber utilizá-lo.

Silenciar e escutar indica para o outro simplesmente "vou estar aqui, presente ao seu lado, escutando". Usar frases como "já sei", "eu também", "eu te entendo"… realmente não ajuda e tende a cortar a comunicação.

Compartilhar o silêncio nos leva também à união. É uma maneira de dizer ao outro que ele pode contar conosco, seja o que for que vai nos contar.

Sempre recomendo aos líderes em meus treinamentos para usarem a arma poderosa que é o silêncio. A escuta ativa é a ferramenta crucial da gestão de pessoas. Todas as vezes que estiver em dúvida sobre o que falar ou fazer numa situação estressante, fique em silêncio. O silêncio é poderoso. As pessoas temem o silêncio.

Encontrei informação valiosa sobre o silêncio até na Bíblia, que diz, no livro de Provérbios 17:28, que mesmo o insensato, quando se cala, passa por sábio; e aquele que fecha os lábios, por inteligente.

Escute mais, fale menos. Stephen Covey [autor do livro "Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes"] disse que, quando ouvimos mais com a intenção de compreender os outros do que com a de retrucar, começamos a construir a verdadeira comunicação e o verdadeiro relacionamento.

As oportunidades para falar abertamente sobre qualquer assunto e ser mais bem compreendido surgem de modo fácil e espontâneo. Procurar compreender exige consideração, procurar ser entendido requer coragem. A eficácia reside no equilíbrio das duas coisas.

Se você entender que escutar abre uma porta até o interior da outra pessoa, verá que escutar é uma arte que nos aproxima do desconhecido.

E você? Está escutando o que digo?

Gostou do artigo? Útil para alguém? Então compartilhe! Quer saber mais sobre assuntos relacionados a comportamento no trabalho? Siga-me nas redes sociais nas quais sempre compartilho e posto conteúdo e materiais sobre temáticas de gestão de pessoas.

Instagram - @danieladolago
Facebook - treinamentos Daniela do Lago

Daniela do Lago

Daniela do Lago é especialista em comportamento no trabalho, coach de carreira, mestre em administração e professora.

UOL Cursos Online

Todos os cursos