Bolsas

Câmbio

Turbine sua criatividade

Roberto Shinyashiki

Roberto Shinyashiki

  • Pexels

Quando pensamos em criatividade, há dois pontos que precisamos analisar: empregos criativos e empresas criativas. Basicamente, existem dois tipos de profissionais: os mais organizados, ou seja, aqueles focados na execução de projetos e planejamentos; e os mais criativos, que inventam novas ideias e novos projetos.

Os profissionais de gestão tendem a ter menos criatividade, mas são bons na execução. Se pensarmos em profissões, por exemplo, a tendência dos engenheiros é ter um perfil mais de planejamento, de execução e de detalhes. Já os arquitetos são mais criativos e mais antenados com as tendências.

As empresas são a mesma coisa: há companhias mais voltadas para execução e venda de produtos, e outras com perfil mais criativo.

Criativos: em busca de resultados

Se o seu perfil é criativo, você precisa buscar oportunidades que ofereçam espaço para a descoberta de tendências e manifestação de criatividade.

E o que aumenta a criatividade no trabalho? Criatividade é a ideia. Inovação é quando você transforma a sua ideia no resultado para o produto. Só a criatividade é muito pouco para uma empresa.

Se analisarmos grandes artistas, como Pablo Picasso e Vincent van Gogh, percebemos que esses gênios criativos conseguiram transformar a criatividade em obra de arte. Há pessoas que têm muita criatividade, mas não a transformam em resultados.

Criatividade organizada

Quando há um perfil criativo atuando em uma empresa focada em produção, com rotina e sistemas, a criatividade tende a ser reprimida. Em contrapartida, às vezes, uma pessoa criativa tem um bloqueio e não consegue atingir uma produtividade satisfatória, ou seja, ela não tem a capacidade de produzir resultados com organização, não domina a gestão do tempo.

Quando somos criativos, a nossa tendência é organizar uma estrutura do tempo de uma maneira caótica. Às vezes, essa pessoa criativa diz: "Poxa, eu não viro gerente". Por que isso acontece? Porque ela tem uma criatividade caótica e precisa de um administrador para colocar o seu talento à disposição da empresa.

Então, esse é o primeiro desafio para a pessoa criativa: colocar a criatividade a serviço da empresa. O segundo é saber fazer uma boa apresentação, ministrar uma palestra com clareza e que ofereça todos os detalhes de como o projeto será executado.

O profissional criativo que quer exercitar, executar e demonstrar sua criatividade também precisa cuidar dos prazos. Quando ele não consegue se enquadrar no sistema de gestão, acaba provocando uma bagunça na empresa. E outro ponto: ele precisa saber expor claramente o seu projeto, a sua ideia.

Sem estresse

Muitas vezes, as pessoas pensam que as profissões criativas são mais estressantes. Porém, isso só acontece quando o profissional criativo não consegue funcionar dentro de um sistema organizacional. Ou seja, ele fica estressado ao ser pressionado porque está sempre atrasado ou não sabe fazer uma apresentação adequada.

Quando aprende a trabalhar em grupo --ou dentro da equipe na qual está realizando um trabalho--, ele passa a realizar o seu talento e consegue se destacar.

Você já parou para pensar em como Oscar Niemeyer conseguiu fazer tantas obras de arte? Apenas sendo um gênio criativo com a capacidade de executar e transformar seus projetos nos presentes que a humanidade recebeu! 

Roberto Shinyashiki

Roberto Shinyashiki é palestrante e autor best-seller com mais de 7,5 milhões de livros vendidos em todo o mundo.

UOL Cursos Online

Todos os cursos