PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Como manter a mente sã em períodos de crise, como o atual

Daniela do Lago

Daniela do Lago

Daniela do Lago é escritora, professora e especialista em comportamento no trabalho. Mestre em administração, atua há mais de 17 anos com gestão de pessoas. Acesse danieladolago.com.br e saiba mais.

31/03/2020 04h00

Sim, estamos vivendo uma crise mundial! Parecem inacreditáveis as notícias com que nos deparamos por todos os lados. Como seres humanos, nos reconhecemos como seres gregários, ou seja, não nascemos para vivermos só. Portanto, durante períodos de isolamento social, o mal-estar psicológico pode se instalar, fragilizando nossa capacidade de adaptação e reação ao estresse que o confinamento traz, impactando não somente nosso sistema imunológico, como também nosso equilíbrio mental e emocional.

Todos aceitam a importância da saúde física. Acredito que a mesma importância vale para sua mente. A vida moderna —principalmente em períodos de crise— é estressante e pode ser realmente difícil sentir-se calmo, satisfeito ou aberto a novas experiências.

É possível sentir-se menos confuso. Busquei listar algumas ações simples e úteis para encarar os desafios desse período complexo, inédito e estressante.

1. Evite informações desnecessárias

Excesso de informação e alarme podem gerar ansiedade. Sim, temos que saber das notícias, portanto, procure assistir noticiário apenas uma vez ao dia. Minha recomendação é assistir logo pela manhã, pois consolidam tudo que aconteceu no dia anterior.

Não caia na armadilha de ficar o dia todo com o noticiário ligado. A busca pela audiência, informações falsas ou exageradas podem colocar seu estado mental em constante alerta, o que vai prejudicar o relaxamento e a capacidade de discernimento.

Todos nós temos a capacidade e condições de filtrar conteúdos e impor limites quanto à exposicao a informações que alterem nosso estado de humor.

2. Cuidado com pensamentos negativos

Uma coisa é encararmos a realidade, outra coisa é termos pensamentos vitimistas. A vitimização distorce a realidade.

Não encare o período de isolamento como um "cárcere privado", punição ou castigo. Prefira pensar que se trata do bem comum e da preservação da sua saúde e dos demais. Não será uma condição definitiva, não é o fim do mundo, é só uma dificuldade! Logo tudo voltará ao normal.

Não é momento para ser pessimista. A falta de controle gera um mega desconforto e, para aqueles que tendem a ter pensamento pessimista como padrão, suas reações e comportamentos podem se revelar de forma destrutiva, o que impede de enxergar soluções e alternativas.

Sim, existem infinitas possibilidades. Não escolhemos essa situação, mas podemos escolher como reagir a tudo isso. Permita-se pensar diferente.

3. Mantenha contato

Estar só (solitudde) é momento que permite reflexão e privacidade. Porém, solidão causa tristeza e, até mesmo, depressão.

Cada pessoa reage de uma maneira. É momento de união. Utilize toda tecnologia disponível para manter-se conectado com seus amigos, familiares e pessoas de que gosta. Podemos promover conversas muito significativas e prazerosas através de mensagens, vídeos e telefonemas.

É possível estar presente, mesmo longe fisicamente.

4. Cuidado com o excesso de ócio

Nem sempre o ócio é criativo. Até para fazer bem o "não fazer nada", precisamos de organização e método.

Quando pessoas ficam muito tempo sem fazer nada, quando o ócio não é criativo, pode-se conduzir a um estado de letargia e desânimo. Para lidar com isso, as atividades manuais e atividades físicas são excelentes para aliviar o desconforto e preencher o tempo.

Estabeleça uma rotina diária para realização de propósitos. Organize seu tempo, o período de trabalho, respeite as pausas para café, almoço e jantar, e trace horário para terminar o expediente em casa. Nessa agenda diária, tenha tempo livre —leitura, interação com pessoas e descanso são fundamentais.

5. É momento de praticar empatia e pensar no coletivo

Sua individualidade é importante, mas a perspectiva coletiva não pode ser ignorada.

Tenha consciência das dificuldades atuais de sua cidade e país, pratique os acordos estabelecidos pelo governo, com as regras de convívio, e busque colaborar. Agora, sim, vamos trabalhar em equipe de verdade!

Você tem condições de dividir espaços com pessoas, se adaptar à nova rotina e praticar a tolerância e a empatia.

Chegou o momento de exercitarmos cidadania, compaixão e humanidade.

Economia