PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Governo vai prorrogar campanha publicitária para pedir economia de energia

Ministro de Minas e Energia fez pronunciamento pedindo que sociedade brasileira evite o desperdício - Getty Images
Ministro de Minas e Energia fez pronunciamento pedindo que sociedade brasileira evite o desperdício Imagem: Getty Images
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

29/06/2021 14h43

A Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República confirmou que a campanha publicitária para o uso racional de água e energia, que está sendo veiculada em rádio, TV e internet desde dezembro do ano passado, será prorrogada.

A previsão inicial era de que a campanha fosse encerrada amanhã, 30 de junho, mas o período da seca costuma durar pelo menos até setembro.

Segundo o Palácio do Planalto, agora "há previsão de estender a campanha durante todo o período de estiagem". De acordo com a Secom, os custos da nova etapa da campanha ainda estão em fase de planejamento.

Desde dezembro do ano passado, segundo o governo, já foram gastos R$ 55 milhões com as peças publicitárias com intuito de conscientizar a população para o uso racional de água e energia.

Efeitos na conta e risco de apagão

Hoje, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) decidiu nesta terça-feira (29) aumentar em 52% o valor da bandeira vermelha patamar 2, taxa extra cobrada em junho na conta de luz. A partir de julho, a taxa passa de R$ 6,243 por 100 kWh consumidos para R$ 9,49 por 100 kWh

Ontem, o ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, fez um pronunciamento em cadeia nacional de Rádio e TV para, entre outros temas, pedir que a população economize água e energia.

"Para aumentar nossa segurança energética, é fundamental que, além dos setores do comércio, de serviços e da indústria, a sociedade brasileira participe desse esforço, evitando desperdícios no consumo de energia elétrica. Com isso, conseguiremos minimizar os impactos no dia a dia da população", disse o ministro, que segue afastando qualquer possibilidade de racionamento.

"Hoje temos um setor elétrico robusto, que nos traz garantia do fornecimento de energia elétrica aos brasileiros", disse o ministro.

O país passa pela pior estação chuvosa para as usinas hidrelétricas — principal matriz de energia brasileira — em 91 anos, o que levantou discussões sobre risco de um racionamento de energia no país, como o realizado há 20 anos, em 2001.