Conteúdo publicado há 10 meses

Em Super Quarta, dólar fecha a R$ 4,88 e Bolsa sobe 0,3%

O dólar comercial fechou em alta de 0,15%, cotado a R$ 4,88, em dia de anúncios das taxas de juros no Brasil e nos Estados Unidos.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), fechou o dia em alta de 0,32%, aos 118.665,32 pontos, após um pregão em relativa estabilidade.

Expectativa para o Copom

O Copom deverá anunciar hoje (20), após as 18h30, um novo corte de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, para 12,75%. É esperado que o Banco Central sinalize uma aceleração no ritmo de quedas.

Decisão do Fed e impactos externos

Já o Fed anunciou que irá manter a sua taxa entre 5,25% e 5,5% ao ano. Não se trata do fim do endurecimento iniciado pelo banco central americano para controlar a inflação, pois é esperado um novo aumento ainda este ano. Para 2024, o Fed espera juros da ordem de 5,1% frente aos 4,6% estimados em junho.

Ainda deve ter mais uma alta nos juros. O discurso do presidente do FED, Jerome Powell, deixou em aberto mais uma possível alta de juros de 0,25%, ainda este ano, diz André Fernandes, head de renda variável e sócio da A7 Capital. Ele falou que o cenário ainda não reflete as restrições impostas pelos juros altos, e que o consumo das famílias permanece forte.

Inflação está longe da meta. Afirmou ainda que o FED vai fazer de tudo para atingir a meta de inflação de 2%, embora a economia atual esteja bem distante da meta. "Caso a economia ainda permaneça aquecida, o FED deve dar uma "última cartada" para tentar baixar a inflação por lá, ficando em terreno ainda mais restritivo na economia americana.", diz Fernandes.

O BC americano também dobrou sua previsão de crescimento do PIB dos Estados Unidos para 2023 para 2,1% contra o 1% previsto em junho, pois a economia avança "em um ritmo sólido", segundo um comunicado publicado ao final da reunião de política monetária.

O Fed elevou onze vezes suas taxas básicas de juros desde março de 2022 na tentativa de encarecer o crédito e reduzir o consumo e os investimentos, que pressionam a alta dos preços.

Continua após a publicidade

Na Ásia, as Bolsas fecharam em baixa nesta quarta. A China manteve suas principais taxas inalteradas e à espera da decisão do Fed.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial (saiba mais clicando aqui). Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

*Com informações da AFP e Reuters

Deixe seu comentário

Só para assinantes