ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Estes 4 hábitos podem tornar você mais feliz no trabalho, diz pesquisadora

iStock
Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

16/04/2018 15h48

Se você quer ser mais feliz e satisfeito em seu trabalho, não é preciso, necessariamente, procurar um novo emprego ou fugir de seu chefe. Segundo Emiliana  Simon-Thomas, pesquisadora da Universidade de Berkeley (EUA) e professora do curso "A Ciência da Felicidade", todos podemos nos tornar mais felizes no trabalho --é preciso apenas "trabalhar" para que isso aconteça.

"Algumas pessoas têm uma capacidade maior de encontrar felicidade do que outras", por questões genéticas ou devido a suas experiências de vida, disse, em entrevista ao site "Fast Company". Ainda assim, segundo ela, é possível dar um empurrãozinho: "Se você quiser aumentar seu potencial de ser feliz, há algumas coisas que precisa fazer".

Veja, a seguir, quatro hábitos que todos podem colocar em prática para sentirem-se mais felizes no ambiente de trabalho, segundo a especialista.

1. Apreciar intencionalmente os bons momentos

"Quantas vezes você responde 'sim' quando perguntam se você curtiu seu dia de trabalho?", questiona Emiliana. Duas pessoas diferentes podem encarar os mesmos desafios, e uma vai chegar em casa revigorada, enquanto a outra vai estar ansiosa ou deprimida.

"Nossos dias no trabalho, assim como na vida, não são todos igualmente agradáveis. Mas esses momentos legais existem, e devem ser apreciados", diz a pesquisadora.

Ela diz que é difícil, pois há cada vez mais pressão e cobrança nas empresas, mas que "são as pessoas que conseguem rir nas dificuldades, estar atentas, defender as próprias ideias e refletir sobre o que passou que vão conseguir crescer com esses desafios".

"Elas elaboram soluções criativas para esses contratempos" graças ao pensamento positivo que desenvolveram e ao tempo gasto para apreciar quando as coisas boas acontecem, diz Emiliana.

2. Encontre (ou crie) um propósito em seu trabalho

A pesquisadora afirma que as pessoas mais felizes em seus empregos são aquelas "movidas por um objetivo maior". "Pessoas que têm suas atividades diárias guiadas por esse senso de propósito são mais felizes na vida", afirma.

A pesquisadora, porém, aponta que esse propósito não é definido apenas pelo profissional. Segundo ela, chefes devem ajudar os membros da equipe a entender a importância de sua contribuição e como seu trabalho ajuda na conquista dos objetivos do departamento, da empresa e do mundo, em maior escala.

Se o funcionário senti-se um peixe fora d'água, Emiliana sugere: tente conversar com seu chefe, pedindo ajuda para identificar como seu trabalho se conecta com o restante da empresa, ou tente empreender dentro de sua função atual, criando algo novo --um programa, projeto, serviço ou evento, algo que possa ter um impacto visível.

"Se não conseguir encontrar um ponto de conexão entre seus valores e seu trabalho atual, procure isso em outro papel", diz.

3. Aumente sua resiliência

Resiliência é a capacidade de lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas.

Imagine que, apesar de muito esforço, você tenha falhado em uma tarefa importante, e seu chefe demonstrou insatisfação com o resultado. Qual sua reação? Ficar na defensiva, ficar envergonhado, retrair-se e decidir não se envolver mais em projetos no futuro? A sugestão de Emiliana é: "Respire fundo, lembre-se que esse é um episódio passageiro e reflita sobre as circunstâncias externas que podem ter contribuído para isso".

Isso ajudará a ser mais resiliente nos próximos tropeços que virão --pois, afinal, eles são inevitáveis. "Deixe claro para si e para todos que fará melhor da próxima vez", diz. Com esse pensamento positivo, segundo ela, o profissional evita ficar remoendo erros do passado e sente-se mais feliz em relação às novas oportunidades.

4. Pratique a gentileza

O quarto hábito a ser praticado é o da "conectividade social, a habilidade de construir relacionamentos com os outros", diz Emiliana. Profissionais felizes sentem que fazem parte de uma equipe na qual acreditam, e que recebem apoio em retribuição.

Como alcançar esse senso de conectividade? De acordo com a pesquisadora, "é praticando a gentileza, tendo um interesse verdadeiro nos colegas e mostrando empatia, compaixão, generosidade e gratidão".

Isso inclui deixar de lado diferenças pessoais, segundo ela. "Pedir desculpas no ambiente de trabalho gera respeito, perdoar os outros diminui o estresse, aumenta a aproximação e cria um senso de pertencimento", afirmou.

Essas habilidades são ensinadas no jardim de infância, mas acabam sendo deixadas de lado na vida adulta --em parte porque as empresas não estimulam isso, diz Emiliana. "No ambiente de trabalho, a cultura da hierarquia e os princípios rígidos estão enraizados. Fica muito mais difícil para as pessoas confiarem umas nas outras e tratarem-se com respeito e apoio", afirma a cientista.

Para ela, praticar a gentileza é uma das formas mais simples e eficazes de quebrar essas normas autoritárias e tornar-se mais feliz no processo, inclusive tornando mais felizes também as pessoas ao seu redor.

Mais Economia