Bolsas

Câmbio

Saiba o jeito certo de declarar FGTS e seguro-desemprego no IR 2016

Sophia Camargo

Do UOL, em São Paulo

  • Fernando Donasci/Folha Imagem

FGTS e seguro-desemprego são rendimentos isentos e devem ser informados, na declaração do Imposto de Renda 2016, na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

Ao preencher a informação, o programa da declaração do Imposto de Renda abre um quadro auxiliar, que deve ser preenchido com informação de que a renda pertence ao titular ou ao dependente, além do nome e CPF ou CNPJ da fonte pagadora, além do valor do recebimento.

A falta da informação do CNPJ, no caso do FGTS, ocasiona erro na declaração, que impede inclusive o fechamento do quadro auxiliar e a consequente inclusão do dado na declaração.

No caso do seguro-desemprego, o programa informa a ausência do CNPJ como um aviso, que não impede o envio da declaração.

Como declarar o FGTS

Quem sacou FGTS em 2015 deve informar o saque na linha 3 da ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

Arte/UOL

Quando abrir o quadro auxiliar, preencha com os dados da Caixa Econômica Federal como fonte pagadora. O CNPJ da instituição é o 00.360.305/0001-04.

Arte/UOL

Como declarar o seguro-desemprego

O seguro-desemprego deve ser informado na linha 24 (outros), da ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

Arte/UOL

Quando abrir o quadro auxiliar, informe o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) como fonte pagadora. Nesse caso, a informação do CNPJ é opcional. O número do CNPJ da instituição é Nº 07.526.983/0001-43.

Arte/UOL

(Fontes: Caixa Econômica Federal, Ministério do Trabalho e Emprego e Receita Federal)

Em menos de 1 minuto, saiba quem tem de declarar o IR 2016

  •  

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos