Topo

Imposto de renda


IR 2019: Contribuinte entrega declaração no último dia e esquece de pagar

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

2019-05-01T17:52:00

01/05/2019 17h52

Documentos faltando, dúvidas no preenchimento, falta de tempo. Esses foram os motivos citados por algumas pessoas que deixaram para entregar a declaração do Imposto de Renda 2019 quase no final do prazo. Ao todo, quase cinco milhões de contribuintes só acertaram as contas com a Receita ontem, no último dia. Teve gente que fez tudo certo, entregou dentro do prazo, mas simplesmente esqueceu de pagar o imposto devido.

Segundo a Receita Federal, 30,7 milhões de pessoas entregaram a declaração, pouco acima dos 30,5 milhões esperados. Quem ainda não enviou terá que esperar até as 8 horas desta quinta-feira (2) para entregar a declaração, já com multa.

"Eu já tinha começado a fazer a declaração há umas duas semanas. Estava quase pronta. Mas, estava com dúvida sobre onde deveria incluir uma determinada renda. Não tinha certeza se era tributável ou isenta", disse Leandro William Grande, 31, auditor trabalhista de Guarulhos (SP).

"Deixei para fazer tudo ontem, em cima da hora. Estou abrindo uma nova loja, correndo muito, e acabei sem tempo para fazer o imposto de renda", afirmou o microempresário Vinicius Dumanian, 30, de São Paulo (SP).

Entregou, mas não pagou

Alguns contribuintes entregaram a declaração no prazo, mas simplesmente esqueceram de pagar o imposto. Foi o caso de Leandro Grande. Ao terminar de preencher a declaração, o programa do IR 2019 acusou imposto a pagar, mas ele achou estranho o fato de não aparecer nenhum boleto para efetuar o pagamento.

"Não tinha nenhuma instrução sobre como pagar. Eu vi um campo para preencher a agência, a conta do banco e o número de parcelas. Acredito que irão debitar o imposto da minha conta."

Imposto venceu ontem

Para quem tem imposto a pagar, a data de vencimento da primeira parcela (ou da parcela única) coincide com o prazo de entrega da declaração, ou seja, 30 de abril.

Quem não fez o pagamento está sujeito a uma multa de 0,33% ao dia, até o limite de 20% sobre o valor a pagar, além de juros mensais proporcionais à Selic (hoje em 6,5% ao ano).

Para efetuar o pagamento do imposto, Grande deveria ter selecionado a opção "imprimir Darf do IRPF" na barra do lado esquerdo do programa. O Darf é o documento de arrecadação do governo, semelhante a um boleto, que pode ser pago em qualquer banco.

A opção de débito automático, que foi preenchida por Grande, só está disponível para os contribuintes que entregaram a declaração com antecedência, ainda em março.

Caçando papéis no horário de trabalho

Juntar toda a documentação necessária para preencher a declaração é uma das principais dificuldades dos contribuintes. Entre os papéis obrigatórios estão o informe de rendimentos fornecido pela empresa onde a pessoa trabalha, o informe do banco com os saldos de conta corrente, poupança e aplicações financeiras, além dos rendimentos isentos e tributáveis obtidos com investimentos.

"Eu tenho conta em três bancos diferentes. Tinha separado o comprovante apenas de um deles. Quando estava no meio do preenchimento da declaração, me dei conta de que faltavam os papéis dos outros dois. Não foi fácil achar. Eu estava no meio da correria do trabalho, tentando fazer o IR ao mesmo tempo", disse Dumanian.

Informações desencontradas

O surgimento de uma nova fonte de renda em 2018 deixou Grande em dúvida sobre como incluí-la na declaração.

"Eu sempre fiz a declaração como CLT [empregado com carteira assinada]. Era só preencher as informações na ficha de rendimentos tributáveis recebidos de pessoa jurídica. Só que, no ano passado, eu abri uma empresa e passei a receber pró-labore dela. Como eu já recolho Imposto de Renda pela empresa, achei estranho ter que declarar na pessoa física e pagar imposto de novo", afirmou.

"Cada hora ouvia uma informação diferente. Tinha gente que falava que o rendimento era tributado. Outros diziam que era isento. Fui pesquisar em fóruns na internet, consultei outras pessoas que fizeram declaração para ter certeza. Fiquei com medo de entregar errado e cair na malha fina. Ainda assim, não sei se fiz certo", disse.

Vai ter que retificar

Dumanian enfrentou problema parecido. Segundo ele, o contador responsável por sua microempresa enviou seu informe de rendimentos com informações incorretas.

"Eles fizeram alguma coisa errada e ficaram de mandar um novo documento, mas não deu tempo. O jeito foi entregar errado mesmo."

O microempresário, que faz a própria declaração há quatro anos, disse que nunca precisou retificar o documento. "Para falar a verdade, não sei como faz. Mas o pessoal da contabilidade disse que vai me ajudar, já que o erro foi deles."

Só copiar e colar

Dumanian disse que não entende a maioria dos termos que aparecem na declaração do IR.

"Eu copio os valores do informe do banco para os espaços indicados no programa. O que é rendimento isento vai para a ficha rendimento isento. Rendimento sujeito à tributação exclusiva vai para a ficha com esse nome. O que significa 'tributação exclusiva'? Não sei. Só copio e colo."

Ele também não sabe dizer qual foi o modelo adotado no preenchimento da declaração, se simplificado ou completo. "Não faço ideia. Fiz o que o programa indicou que era mais vantajoso para mim."

Nada de contador

Apesar das dificuldades no preenchimento da declaração, muitas pessoas preferem fazer o Imposto de Renda por conta própria a recorrer aos serviços de um contador.

"Eu já tive problema com contador há uns três anos. O cara preencheu de qualquer jeito, colocou até o número errado da matrícula da minha casa. Perdi a confiança. Prefiro ir atrás dos papéis e fazer. Depois que você faz pela primeira vez, fica mais fácil. No ano seguinte, é só baixar os dados da declaração anterior e atualizar as informações", afirmou Grande.

"Contador cobra caro. Eu já faço há quatro anos e nunca caí na malha fina", disse Dumanian.

Caiu na malha fina? Veja orientações da Receita

UOL Notícias

Mais Imposto de renda