Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

Veja quanto dinheiro você perdeu na poupança em 2023 e saiba evitar isso

Muita gente deixa dinheiro "esquecido" na poupança por muito tempo, às vezes sabendo que não é uma aplicação muito boa. Mesmo assim, as pessoas não migram para outros investimentos por medo.

Na coluna de hoje eu comparo o rendimento da poupança nos últimos 12 meses com o do investimento mais seguro do país, o Tesouro Selic. Ao final, explico as diferenças entre os dois e mostro o que fazer para você sair da poupança com segurança.

Quanto você deixa de ganhar na poupança

Vejo muitas pessoas comparando a poupança com diversas aplicações financeiras para dizerem que você está perdendo dinheiro. No entanto, o ideal é comparar a poupança com outros investimentos que têm as mesmas características.

Se você está com dinheiro na poupança, imagino que, antes de qualquer coisa, você quer a certeza de que não vai perder nenhum centavo, correto? E provavelmente você também quer uma aplicação da qual possa resgatar a qualquer momento, sem chance de prejuízo, acertei?

Sendo esse o caso, apresento o Tesouro Selic, um título do Tesouro Direto com essas mesmas características. Ele é até mais seguro que a poupança e você pode resgatar quando quiser.

Pois bem, a rentabilidade da poupança nos últimos 12 meses ficou em 8,19%. Já a do Tesouro Selic foi de 10,96%, descontado o Imposto de Renda.

Sendo assim, um investimento de R$ 1.000 na poupança rendeu R$ 82; no Tesouro Selic, R$ 110. A diferença ficou em R$ 28. Portanto, para cada R$ 1.000 aplicados na poupança, você deixou de ganhar R$ 28, em comparação com o Tesouro Selic. Caso tenha deixado R$ 10 mil, a defasagem foi de R$ 277; se manteve R$ 100 mil, deixou de ganhar R$ 2.774.

Perdeu ou deixou de ganhar?

Tecnicamente, pode-se questionar a ideia de que na poupança você perde dinheiro. Afinal, hoje você tem um valor maior do que há um ano. No entanto, quando se considera que o Tesouro Selic é até mais seguro, então, realmente, é como se fosse uma perda, pois o ganho a mais com o Tesouro é certo.

Continua após a publicidade

Não é questão de adivinhação, é lei. As regras que definem a rentabilidade da poupança foram feitas de tal forma que ela sempre terá rentabilidade menor do que o Tesouro Selic.

Por isso, na minha visão, pode-se falar em perda, pois era um dinheiro que estava na sua mão, enquanto você preferiu o que rende menos. Mas não precisa ficar chateado com isso. Não ter essas informações é a coisa mais comum do mundo.

Agora, no entanto, você já sabe como as coisas funcionam e só precisa fazer a migração da poupança para algo que renda mais e tenha a mesma segurança.

Como sair da poupança

Se você quiser um investimento do qual possa resgatar a qualquer momento sem risco de prejuízo, a opção ideal é o Tesouro Selic. Apenas atente-se ao fato de que, quando você pede o resgate após o meio-dia, só recebe o dinheiro na conta corrente no dia útil seguinte. Por exemplo, se solicitar na sexta à tarde, receberá o valor só na segunda. Já se você pede o resgate de manhã, recebe no mesmo dia. É uma questão apenas de se organizar. Nunca deixe a sua conta corrente totalmente vazia.

Outra forma de sair da poupança é ir para a conta corrente remunerada, que é oferecida por alguns bancos digitais, como PagBank, Nubank e outros. A vantagem das contas digitais, em comparação com o Tesouro Selic, é que, ao solicitar o resgate, você consegue sacar o dinheiro imediatamente. É, portanto, muito mais simples do que o Tesouro Selic. Em geral, o rendimento dessas contas digitais é ligeiramente abaixo do Tesouro Selic, mas a diferença é tão pequena que, se você busca praticidade, vale a pena.

Continua após a publicidade

Além do Tesouro Selic e das contas digitais remuneradas, outra opção é aplicar em um CDB, LCA ou LCI com liquidez diária. Em algumas casos, eles vão render um pouco mais do que o Tesouro Selic e as contas digitais. Porém, um detalhe importante: nas contas digitais e em títulos como CDB, LCA e LCI, é importante manter um investimento de no máximo R$ 250 mil. Até esse valor, você está protegido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), caso o banco quebre.

No caso do Tesouro Selic, não existe proteção do FGC, mas é porque o seu dinheiro é garantido pelo próprio Estado brasileiro, que é a entidade com menor risco de todos. Afinal, se um dia o governo não tiver dinheiro para devolver seus investimentos no Tesouro Selic, ele pode emitir mais moeda e assim pagar o que lhe deve.

Alguma dúvida?

Tendo alguma dúvida sobre investimentos, me siga no Instagram e envie uma mensagem por lá. Sua pergunta poderá ser respondida em breve nesta coluna.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes