Monsanto demitirá mais, prejudicada por dólar alto no Brasil

Nova York, 6 Jan 2016 (AFP) - A Monsanto eliminará um milhão de postos de trabalhos e comunicou perdas trimestrais em decorrência do dólar forte e da demanda fraca por produtos agrícolas, informou nesta quarta-feira a empresa americana.

A companhia de sementes, pesticidas e fertilizantes pretende cortar 3.600 empregos até o ano fiscal 2018; mil a mais do que os anunciados em outubro, diz o comunicado da Monsanto.

As demissões representam 16% do quadro de funcionários da empresa no mundo.

O comunicado também afirma que a Monsanto fechou o primeiro trimestre de seu exercício 2015/2016 no vermelho, pela queda na venda de sementes transgênicas em meio à redução dos preços dos produtos agrícolas.

No trimestre encerrado no final de novembro, o grupo registrou uma perda líquida de 253 milhões de dólares, em comparação ao lucro de 243 milhões no mesmo período do exercício anterior, segundo um comunicado publicado na quarta-feira.

A companhia mencionou como fatores adversos o encarecimento do dólar em mercados considerados chave, como o Brasil e a Argentina.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos