Banco Mundial: poluição atmosférica causa uma em cada 10 mortes no mundo

Washington, 8 Set 2016 (AFP) - A poluição atmosférica se converteu no quarto fator de morte prematura no mundo, provocando perdas de potenciais benefícios no valor de milhares de milhões de dólares à economia mundial, segundo relatório do Banco Banco Mundial publicado nesta quinta-feira.

O ar contaminado matou 2,9 milhões de pessoas em 2013, segundo os últimos dados disponíveis publicados no relatório. Se for somada a poluição nos lares, principalmente resultante do uso de combustíveis sólidos para calefação ou cozinha, o total de mortos sobe para 5,5 milhões.

As doenças causadas pela poluição ambiental (cardiovasculares, câcer de pulmão e outras doenças pulmonares crônicas e respiratórias) são, em consequência, responsáveis por uma morte em cada dez no mundo, seis vezes mais que as causadas pela malária.

Cerca de 87% da população do planeta está mais ou menos exposto a esta poluição.

Estas perdas de vidas humanas também são sinônimo de perdas em termos de potenciais rendimentos e de obstáculos ao desenvolvimento econômico, segundo cálculos do Banco Mundial.

O estudo avalia que as perdas de rendimentos trabalhistas atribuídas a essas mortes alcançaram 225 bilhões de dólares em 2013.

Além disso, esta poluição provoca perdas em termos de bem-estar que totalizam 5,1 trilhões de dólares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos