PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

ONU pressiona indústria petroleira por sanções contra Coreia do Norte

22/05/2018 19h05

Nações Unidas, Estados Unidos, 22 Mai 2018 (AFP) - O grupo de especialistas da ONU sobre as sanções contra a Coreia do Norte pediu para a indústria petroleira detalhar quais medidas foram tomadas para evitar as entregas ilegais de petróleo a Pyongyang, disse seu chefe, Hugh Griffiths, à AFP nesta terça-feira.

Em cartas enviadas em maio às petroleiras, às refinarias e aos comerciantes de matérias-primas, "solicitamos informações sobre as medidas dispostas para limitar o risco do fornecimento de petróleo à Coreia do Norte por erro, voluntária ou involuntariamente", explicou, sem identificá-los.

Em dezembro, o Conselho de Segurança adotou uma terceira rodada de sanções para 2017 contra Pyongyang, reduzindo drasticamente seu potencial de fornecimento de petróleo, em represália pela continuação de seus programas de armas nucleares e balísticas.

Segundo Hugh Griffiths, os envios de petróleo proibidos pela ONU continuam sendo entregues aos norte-coreanos.

Em março, a ONU tinha estabelecido uma lista negra de 27 navios, 21 empresas e inclusive um empresário que tinham comercializado ilegalmente com a Coreia do Norte em diversas áreas, inclusive o petróleo e o carvão.

No caso da Coreia do Norte, a ONU chegou inclusive a proibir o acesso a portos de todo o mundo a navios que violaram as disposições, algo sem precedentes nas Nações Unidas.

Para driblar possíveis dispositivos de vigilância, os traficantes chegam a mudar bandeiras ou até desconectar dos sistemas de identificação de satélites dos navios.

Com o objetivo de cumprir as sanções internacionais, a indústria petroleira poderia, por exemplo, incluir em seus contratos a obrigação de manter permanentemente conectados os sistemas de identificação automática (AIS) do navio, disse Griffiths.