PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Presidente do Fed considera manter política de aumento de juros

28/11/2018 16h14

Washington, 28 Nov 2018 (AFP) - O presidente do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, Jerome Powell considerou pertinente nesta quarta-feira a continuidade da política de aumento dos juros.

"As taxas ainda estão baixa segundo os critérios históricos e permanecem abaixo de um nível que seria neutro para a economia, ou seja, sem estimular nem desacelerar o crescimento", disse Powell em uma entrevista coletiva em Nova York.

Powell justificou futuros aumentos da taxa de juros depois que Trump criticou novamente o Fed e disse que sua política monetária está equivocada.

O Fed alertou nesta quarta-feira sobre os crescentes riscos para o sistema financeiro dos Estados Unidos entre eles o elevado endividamento das empresas, riscos geopolíticos e as tensões comerciais.

Em uma análise das condições do sistema bancário, o Fed disse que esses riscos podem implicar em um choque no valor dos ativos.

Os mercados caíram nas últimas semanas quando os investidores começaram a temer que o ritmo de crescimento econômico não possa ser sustentado.

Em relação ao PIB, a dívida das empresas é "historicamente alto e há sintomas de deterioração nos padrões de crédito", disse o relatório.

"Um aumento das tensões comerciais, as incertezas geopolíticas e outros choques adversos podem diminuir o apetite dos investidores pelo risco", se afirma.

"A queda de preços dos ativos poderia ser especialmente grande dado que os valores parecem elevados en relação aos níveis históricos", disse o Fed.

Os mercados acreditam que o Fed voltará a subir sua taxa de juros em dezembro, mas o relatório afirma que o processo de endurecimento monetário pode criar dificuldades em uma economia que se acostumou a ter taxas baixas durante muito tempo.

"Embora as políticas do banco central tenham sido previstas pelo público, alguns ajustes podem ocorrer bruscamente contribuindo com a volatilidade dos mercados financeiros domésticos e internacionais e prejuízos às instituições", diz o relatório.

vog-dg/ft/gm/cd/cc