PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Trump invoca Lei de Proteção de Defesa para obrigar GM a produzir respiradores

27/03/2020 18h20

Washington, 27 Mar 2020 (AFP) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, invocou nesta sexta-feira a Lei de Produção de Defesa, uma norma que data da Guerra da Coreia, para exigir que a fabricante de automóveis General Motors produza rapidamente respiradores para responder a emergências sanitárias da Covid- 19.

"A GM estava perdendo tempo", afirmou Trump em um comunicado ao anunciar esta medida especial.

"Esta decisão ajuda a garantir a produção rápida de respiradores que salvarão vidas americanas", agregado.

Trump invocou a raramente usada Lei de Produção de Defesa, para ordenar à GM que acelere seu compromisso de fabricar respiradores em uma de suas fábricas de automóveis após atrasos nas negociações.

A Lei de Produção de Defesa (Defense Production Act) permite mobilizar, em circunstâncias excepcionais, o setor industrial privado para atender às necessidades de segurança do país.

Nesse caso, permite à Casa Branca exigir que a GM "aceite, execute e priorize contratos federais de respiradores", disse Trump em comunicado.

"Nossas negociações com a GM sobre sua capacidade de fornecer respiradores foram produtivas, mas nossa luta contra o vírus é urgente demais para permitir que o processo de contratação continue seu curso normal", acrescentou.

Mais cedo, pelo Twitter, Trump demonstrou irritação ao pedir às montadoras Ford e General Motors que começassem "imediatamente" a produzir respiradores para responder ao surto de coronavírus no país.

"A General Motors DEVE abrir imediatamente sua estupidamente abandonada fábrica de Lordstown em Ohio, ou alguma outra fábrica, E COMEÇAR A FAZER RESPIRADORES AGORA!", tuitou Trump.

"FORD, FAÇA RESPIRADORES, RÁPIDO!!!!!!", acrescentou.

Pouco depois a General Motors e a Ventec Life Systems uma fabricante de equipamentos médicos, anunciaram um acordo para fabricar respiradores na fábrica da General Motors em Kohomo, Indiana.

As primeiras unidades, aprovadas pela agência federal de medicamentos (FDA), estarão disponíveis a partir de abril, disseram as duas empresas em comunicado.

A montadora também disse que não espera obter lucro e pedirá apenas o reembolso dos custos de produção. E acrescentou que também está produzindo máscaras médicas em sua fábrica em Warren, no Michigan.

Contatada pela AFP, a Ford afirmou que começou a fabricar diferentes utensílios de proteção para equipes médicas.

"Começamos a entregar dezenas de milhares de máscaras protetoras para hospitais e policiais, incluindo a de Nova York", afirmou a marca.

"Temos equipes trabalhando incansavelmente com a GE Healthcare (divisão de saúde da General Electric) para acelerar a produção de respiradores simplificados e com a 3M para aumentar a produção de respiradores de limpeza do ar", acrescentou Ford.

Andrew Cuomo, governador do estado de Nova York, a região do país mais afetada pela pandemia até agora, solicita ao governo federal há vários dias que lhe envie respiradores para estar pronto para lidar com o pico do surto, que pela sua avaliação ocorrerá em três semanas.

O impaciente tuíte de Trump contrasta com suas declarações na noite de quinta-feira na Fox News, quando ele minimizou a necessidade de respiradores. "Não acho que 40.000 ou 30.000 respiradores sejam necessários", disse.

jca/pmh/ad/ll/cc

GENERAL MOTORS

FORD MOTOR

THE NEW YORK TIMES COMPANY