Wall Street tem nova queda e revisa expectativas de corte de juros

A bolsa de Nova York continuou em queda nesta quarta-feira (17), enquanto ajusta suas perspectivas de cortes nos juros pelo Federal Reserve (Fed, banco central), após dados econômicos melhores do que o esperado nos Estados Unidos.

O índice Dow Jones caiu 0,25%, o Nasdaq 0,59%, e o S&P 500 0,56%.

As vendas no varejo nos Estados Unidos encerraram o ano com um aumento de 5,6% em relação a 2022, um desempenho que sustentou o crescimento do país apesar da inflação que permanece acima das metas do Fed.

As compras das famílias americanas aumentaram 0,6% em dezembro em relação a novembro, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Departamento de Comércio. O número superou as expectativas dos analistas, que esperavam 0,4%, segundo o consenso publicado pela briefing.com.

A principal conclusão do relatório "é que os gastos dos consumidores permaneceram saudáveis no último mês de 2023, o que não reforça os argumentos para um início iminente de cortes de juros" pelo Fed, afirmou a briefing.com em uma nota de análise.

Um corte em março está provavelmente "fora de questão", dada a performance da economia e a forma como os executivos do Fed falaram sobre serem prudentes em relação às taxas de juros.

As taxas dos títulos do Tesouro continuaram subindo, com os papéis de 10 anos rendendo 4,10%, uma máxima em um mês.

Entre os destaques do dia, a Boeing se recuperou 1,27% depois de cair quase 8% na terça-feira.

A Tesla perdeu 1,98% depois que o fabricante de carros elétricos reduziu o preço de alguns de seus modelos em vários países europeus, incluindo França, Alemanha, Países Baixos, Noruega, e também na China.

Continua após a publicidade

A americana Albemarle, principal produtora mundial de lítio, perdeu 4,17% depois de anunciar reduções de investimentos e uma reestruturação de operações, com demissões, após uma queda no preço do metal branco.

vmt/eb/mr/am

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes