ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Cinco formas simples de ganhar dinheiro com o YouTube

Reprodução/Instagram
Whinderson Nunes, o brasileiro que bomba no YouTube Imagem: Reprodução/Instagram

23/12/2017 09h37

O YouTube é, para a maioria das pessoas, um site onde vídeos podem ser vistos gratuitamente. Para alguns, porém, também pode ser um trabalho, uma profissão e até mesmo uma porta para a fama.

Alguns dos produtores, conhecidos como youtubers, tornam-se estrelas e chegam a ficar milionários.

Mas como é possível que ganhem tanto dinheiro se ninguém paga para usar o portal?

Exibir anúncios é hoje apenas uma das formas de receita desse tipo de atividade. Conheça cinco maneiras com as quais qualquer pessoa pode ganhar a vida com o YouTube.

1. Exibindo anúncios nos vídeos

Ao contrário do que muitos pensam, os anúncios exibidos antes e durante os vídeos já não são o método mais lucrativo. Com o passar do tempo, a publicidade passou a dar menos retorno para os criadores.

O pagamento por cada mil visualizações varia entre US$ 1 (R$ 3,30) e US$ 5 (R$ 16,50), e o YouTube ainda fica com 50% de todo o faturamento com isso.

É algo que faz mais sentido com vídeos muito populares: 1 milhão de visitas podem se traduzir em US$ 1 mil a US$ 5 mil.

E não é difícil achar youtubers com diversos vídeos que ultrapassam a marca de 20 milhões de visualizações, como Whindersson Nunes, o brasileiro de maior sucesso no site, com 25 milhões de assinantes em seu canal.

Reprodução
Fleur De Force publica links onde recomenda produtos para seus seguidores Imagem: Reprodução

2. Pedindo contribuições e oferecendo conteúdo exclusivo

Uma forma pouco conhecida pelo público de um produtor ganhar dinheiro é usar as plataformas de arrecadação de fundos, uma espécie de mecenato digital.

"Pense nisso como um pote de gorjetas online", diz o popular youtuber britânico Evan Edinger, que tem 400 mil seguidores.

Em um clipe recente, ele explica esse jeito de faturar: "O público assiste aos vídeos e, se gosta e quer apoiar seu criador, pode pagar algo em torno de US$ 1 por vídeo ou US$ 1 por mês".

Em alguns casos, os youtubers oferecem conteúdos exclusivos ou acesso privilegiado aos vídeos por meio destes serviços, e os usuários pagam por isso.

"Faço há um ano, e os espectadores podem ver meus vídeos um pouco antes e, às vezes, mandam perguntas. É simples e fácil", diz Edinger.

3. Redirecionando seu público e ganhando um percentual sobre as vendas

Isso é especialmente relevante para blogueiros de moda e beleza e aqueles que avaliam produtos tecnológicos.

Muitas vezes, as próprias empresas fornecem as mercadorias para serem testadas. Na descrição do vídeo, o youtuber informa um site onde é possível comprá-las. Se a venda é feita, ele ganha uma porcentagem.

É um jeito das marcas tirarem proveito da grande popularidade de alguns produtores e canais, que, por sua vez, rentabilizam seus comentários sobre os produtos.

Reprodução
O americano Casey Neistat é um dos youtubers mais conhecidos na plataforma de vídeos Imagem: Reprodução

4. Usando produtos e marcas

Sapatos, roupas, acessórios: tudo o que um youtuber usa é uma forma indireta de publicidade e pode render dinheiro.

As marcas podem pagar --em alguns casos, muito bem-- por isso. Tudo depende do youtuber e seu número de seguidores e de visualizações em seu canal.

Mas a parceria com empresas não para por aí, e há outra forma até mais vantajosa.

5. Produzindo conteúdo patrocinado

As empresas podem propor que sejam feitos vídeos sobre seus produtos e serviços em troca de um bom pagamento em dinheiro.

Essa é a forma com que os criadores de vídeos do YouTube mais faturam, segundo Edinger.

"Podem pagar 12 vezes mais do que o faturamento com anúncios em um mês. Parece surreal, mas é verdade."

O blogueiro reconhece que isso pode afetar a qualidade do vídeo, por isso diz ser melhor trabalhar com marcas que não pressionam demais o youtuber e permitem que ele faça um material de qualidade.

Mais Economia