Bolsas

Câmbio

Governo do México estuda injetar capital na Pemex

Eric Martin e Carlos Manuel Rodriguez

(Bloomberg) -- O México pode injetar capital na Petróleos Mexicanos depois que a Moody's colocou a empresa estatal de petróleo em revisão para possível rebaixamento na semana passada.

A Pemex primeiro precisa mostrar que pode reduzir custos, fazer investimentos melhores e agilizar parcerias com outras empesas, disse o vice-ministro de Finanças, Miguel Messmacher, em uma entrevista no escritório da Bloomberg na Cidade do México na quarta-feira. Horas depois, em um evento na Cidade do México, o ministro de Finanças, Luis Videgaray, disse que o México está considerando capitalizar a companhia e que sua situação financeira é da maior importância.

O prejuízo recorde de US$ 10,2 bilhões registrado pela Pemex no terceiro trimestre levou a Moody's a rebaixar a nota de crédito no dia 24 de novembro, com a empresa registrando quedas de produção por 11 anos seguidos. Embora a Pemex esteja enfocada em melhorar a produção de campos maduros através de parcerias, a empresa não conseguiu colocar as melhorias em prática no ano passado e agora espera iniciar as joint ventures em 2016, disse o diretor financeiro, Rodolfo Campos, em uma entrevista no mês passado.

"Vamos avaliar a possibilidade de permitir algumas mudanças no balanço da Pemex ou a possibilidade de alguma contribuição em termos de capital", disse Messmacher. "Para nós, um pré- requisito é que a Pemex tenha um plano de ajuste convincente que garanta que a Pemex possa se sustentar por conta própria em um cenário de preços do petróleo mais baixos do que os que estão acostumados. Esse é um pré-requisito para qualquer tipo de apoio que poderíamos dar à Pemex".

Eficiência e preço

A Pemex vem enfrentando dificuldades depois que o preço das exportações de petróleo do México caiu 76 por cento nos últimos 18 meses em meio à crise mundial do preço do petróleo bruto. Campos, da Pemex, disse no mês passado que a empresa pretende eliminar postos de trabalho na tentativa de se tornar mais eficiente. A Pemex tinha 150.657 funcionários até 2014, ou um funcionário por US$ 792.000 de receita. Em comparação, cada um dos 75.300 funcionários da Exxon Mobil produziu cerca de US$ 4,8 milhões em receita no mesmo ano.

Poucas áreas da Pemex são mais ineficientes do que a de refino, em que a companhia só utiliza 63 por cento da capacidade de suas seis refinarias.

Messmacher disse que ainda é muito cedo para saber se o México vai fazer hedge de sua exportações de petróleo para o próximo ano dada a queda de preços do petróleo bruto. O México fez hedge do petróleo neste ano a US$ 49 por barril usando opções de venda e a mistura de petróleo bruto do país está sendo comercializada atualmente a menos da metade desse valor, sendo que o barril fechou na terça-feira a US$ 22,55 o barril. Durante anos, o país usou hedges para proteger as receitas federais das quedas de preço do petróleo porque o país sempre dependeu do petróleo bruto para financiar cerca de um terço dos gastos federais.

Comprar opções de venda com um preço de exercício muito acima do preço do petróleo, em qualquer momento, é "extremamente e proibitivamente caro", disse Messmacher.

Também é cedo demais para afirmar que o México vai precisar reduzir os gastos no próximo ano, já que isso depende em grande parte da recuperação dos preços do petróleo, disse Messmacher.

Ponto positivos na economia mexicana são o consumo pessoal e os gastos no varejo, que continuarão a se beneficiar da inflação baixa, da queda nos custos de telefonia, do aumento salarial e da pressão menor dos preços da gasolina, disse Messmacher.

Título em inglês: Mexico May Give Pemex Capital Boost If Company Meets Conditions

--Com a colaboração de Amy Stillman.

Para entrar em contato com os repórteres: Eric Martin em Cidade do México, emartin21@bloomberg.net; Carlos Manuel Rodriguez em Cidade do México, carlosmr@bloomberg.net Para entrar em contato com os editores responsáveis: Telma Marotto, tmarotto1@bloomberg.net Patricia Xavier

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos