PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Honda adia produção em nova planta à espera de retomada do País

Leonardo Lara e Fabiola Moura

23/03/2016 10h26

(Bloomberg) -- A Honda Motor não tem planos de iniciar a produção em sua nova fábrica no Brasil até que veja sinais de recuperação da economia local.

A 3ª maior montadora do Japão já investiu R$ 1 bilhão na planta que está em construção na cidade de Itirapina, interior de São Paulo, e que vai ajudar a dobrar a capacidade de produção no País para 240.000 veículos por ano. Ainda assim, a empresa vai esperar até que o País saia da atual crise política e econ�mica para contratar funcionários para a nova unidade, disse Roberto Akiyama, vice-presidente da South America, em entrevista por telefone.

A Honda tomou a decisão “para evitarmos contratação de mão de obra e entrarmos em dificuldades de layoff ou férias coletivas”, disse Akiyama. Apesar de a montadora não ter “uma data prevista para iniciar as operações da fábrica de Itirapina”, isso não deverá ocorrer no primeiro semestre deste ano como antecipado anteriormente. A empresa necessita de pelo menos 6 meses para contratar e treinar seu pessoal para iniciar a operação.

“Se o mercado retomar rapidamente, temos condições de iniciar operações em Itirapina sem maiores problemas”, disse o executivo. “A grande espera, não só da Honda, mas da economia como um todo, é quais são as perspectivas de mudança nesse cenário de indefinição que nós vivemos atualmente.”

A Honda espera que suas vendas no Brasil caiam 18% em 2016, para 125.000 veículos por conta da recessão econ�mica do País e da atualização do modelo Civic. Isso representa uma queda mais acentuada do que a retração de pelo menos 7,5% prevista pela Anfavea, a associação que representa as montadoras.

A previsão da montadora japonesa parece pior, em parte, porque no ano passado ela conseguiu aumentar suas vendas, enquanto no mercado como um todo elas caíram 27%. A Honda elevou as vendas em 11% em 2015 ao lançar um modelo no segmento de SUVs compactos e oferecendo modelos mais sofisticados que atraem clientes que não dependem tanto da facilidade de concessão de crédito para compra de carro.

A única fábrica da montadora em operação no Brasil, em Sumaré, está trabalhando em tempo integral com 2 turnos diários. A Honda não dispensou nenhum funcionário por causa da desaceleração econ�mica. Apenas eliminamos as horas extras, disse Akiyama.

A fábrica, que produz o Civic e outros três modelos, foi inaugurada em 1997 produzindo apenas 20 carros por dia com 400 funcionários. Hoje seus 3.500 empregados podem fazer 620 automóveis diariamente.

Título em inglês: Honda Postpones New Brazil Plant Until Local Economy Recovers

Para entrar em contato com os repórteres: Leonardo Lara em São Paulo, llara1@bloomberg.net, Fabiola Moura em São Paulo, fdemoura@bloomberg.net, Para entrar em contato com os editores responsáveis: Telma Marotto tmarotto1@bloomberg.net, Patricia Xavier

©2016 Bloomberg L.P.