Bolsas

Câmbio

Ofertas de US$ 26 bi em aquisições na China podem se desfazer

Ye Xie

(Bloomberg) -- A grande retirada das empresas chinesas do mercado de ações dos EUA está enfrentando um obstáculo.

A preocupação revelada na semana passada de que os órgãos reguladores chineses podem restringir o retorno das empresas com ações negociadas no exterior ajudou a eliminar mais de US$ 5 bilhões em valor de mercado das companhias que buscam tomar essa medida.

As ações de empresas como Momo e 21Vianet Group caíram pelo menos 20% desde 6 de maio em meio à especulação de que os grupos de investidores poderão se afastar das ofertas de aquisições ou reduzir seus preços de compra.

A forte queda marca outra reviravolta na saga das empresas chinesas listadas nos EUA que buscam fechar seu capital, atraídas pela perspectiva de relançarem ações com avaliações mais altas em Xangai ou Shenzhen.

Mais de 40 receberam ofertas de aquisição avaliadas em pelo menos US$ 35 bilhões desde o início de 2015. Cerca de três quartos dos negócios ainda estão pendentes, incluindo o da Qihoo 360 Technology, cuja oferta de US$ 9,3 bilhões é a maior.

O processo começou em 6 de maio, quando a Comissão Reguladora de Valores da China disse que está estudando o impacto da busca das empresas por listarem suas ações domesticamente após retirarem os papéis do exterior.

Os órgãos reguladores temem que as avaliações estimadas para alguns dos chamados backdoor listings sejam muito altas e possam afetar a estabilidade do mercado de ações, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

As autoridades também querem evitar o incentivo a mais aquisições que poderiam provocar saídas de capital, disseram as pessoas, pedindo anonimato porque a informação é privada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos