Pior commodity do mundo, urânio deve subir com produção menor

Sonja Elmquist

(Bloomberg) -- A abundância que transformou o urânio na matéria-prima de pior desempenho deste ano está prestes a virar escassez com a redução da produção pelas mineradoras e o aumento da construção de reatores nucleares, segundo a produtora Uranium Energy Corp.

Com o excesso de oferta de minas do Cazaquistão, do Canadá e da Austrália, os futuros do urânio caíram 18 por cento neste ano, maior declínio entre as 80 commodities monitoradas pela Bloomberg com exceção dos créditos de carbono, enquanto o minério de ferro e o petróleo estão subindo. Mas com a redução da oferta e a melhora da demanda, os estoques serão consumidos e a queda se reverterá, disse o CEO Amir Adnani, cuja empresa com sede em Vancouver diminuiu a produção e os investimentos até que isso aconteça.

"Existem dificuldades no setor e ao mesmo tempo há essa incrível trajetória de cinco a 10 anos para o setor nuclear", disse ele em entrevista por telefone.

Os preços não estão incluindo o ritmo pelo qual os estoques desaparecerão nos próximos anos, segundo David Wang, analista da Morningstar.

"Estamos todos surpresos com o baixo nível a que os estoques chegaram, especialmente considerando as perspectivas positivas para o futuro", disse Wang em entrevista. Ele estima que o preço do urânio mais do que dobrará para cerca de US$ 65 a libra em 2019, contra US$ 28,25 agora.

O Japão paralisou toda a produção de energia nuclear após o terremoto e o tsunami que levaram ao colapso da usina de energia Fukushima Dai-Ichi. O país insular religou quatro de seus 42 reatores operáveis, segundo a Associação Nuclear Mundial.

Enquanto espera a recuperação dos preços, a Uranium Energy desativou sua mina de Palangana e sua planta de Hobson, no Texas, e adiou planos de investimentos em projetos no Texas e no Paraguai.

"As percepções de curto prazo são baseadas na psicologia ou na emoção", disse Adnani. "Os fundamentos positivos de longo prazo são incompatíveis com o preço a curto prazo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos