Bolsas

Câmbio

Goldman vê aumento significativo de saída de capital da China

Enda Curran

(Bloomberg) -- A desvalorização da moeda da China provocou o aumento da saída de recursos do país, segundo análise do Goldman Sachs.

O banco dos EUA estima US$ 49 bilhões em saídas de divisas em junho, contra US$ 25 bilhões em maio. A análise do Goldman surge depois que o principal órgão regulador cambial da China divulgou dados mostrando uma demanda sustentada por moedas estrangeiras.

O yuan caiu 1,1% em relação ao dólar e 2,2% na comparação com um índice ponderado pelo comércio no mês passado.

"Embora o volume ainda seja muito menor que o ritmo de saída de divisas de dezembro e janeiro, quando nosso indicador de saídas de moedas estrangeiras foi de cerca de US$ 126 bilhões por mês, isto sugere que a depreciação" do yuan afetou o sentimento, escreveram economistas liderados por MK Tang, de Hong Kong, em uma nota.

O país teve uma onda recorde de saídas de capital em 2015 e no começo deste ano depois que as autoridades permitiram o enfraquecimento da taxa de câmbio, o que levou as empresas a liquidar dívidas estrangeiras e os investidores a transferir seu dinheiro para o exterior. Os fluxos diminuíram quando os declínios do yuan perderam força e as autoridades aplicaram estritos controles de capital transfronteiriços.

Sufocar fluxos

As autoridades fizeram um grande esforço para desencorajar as saídas de capital e as apostas na depreciação, ordenando que os bancos deixassem de enviar dinheiro ao exterior e ampliando os custos de empréstimos overnight offshore em yuan para improváveis 66,8 por cento em janeiro. O Banco Popular da China também tentou, nesta semana, evitar que o yuan caísse além de 6,7 por dólar.

O yuan onshore caminhava nesta sexta-feira para encerrar a mais longa sequência de prejuízos semanais do ano, com a suspeita de apoio do banco central anulando as pressões da alta do dólar e gerando temor em relação ao compromisso da China com as forças de mercado.

O banco central chinês fortaleceu a fixação diária do yuan, que limita as movimentações onshore a 2% para cima ou para baixo, duas vezes nesta semana, enquanto um indicador do dólar avançou. O yuan era negociado a 6,6735 por dólar.

"A estabilização do renminbi nos últimos dias pode ser interpretada como parcialmente impulsionada pela intenção das autoridades de fortalecer o sentimento do renminbi em resposta, embora claramente seja cedo demais para uma conclusão", escreveram os analistas do Goldman. O yuan é oficialmente conhecido como renminbi.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos