Bolsas

Câmbio

Rali de ações da China chega a Xangai com retorno da confiança

Kana Nishizawa

(Bloomberg) -- A recuperação das ações da China está ganhando força.

O rali que começou nas ações listadas em Hong Kong está se espalhando para o mercado continental, de US$ 6,3 trilhões, onde o índice de referência de Xangai acaba de registrar sua maior alta de dois dias desde março e o Shenzhen Composite Index apresenta a maior elevação em quase três semanas. O volume de negociações deu um salto na segunda-feira em meio a ganhos generosos, com o avanço de 90 ações para cada uma que caiu.

As ações chinesas -- listadas no país, em Hong Kong ou nos EUA -- estão entre as de melhor desempenho do mundo em agosto porque o medo de pouso forçado da segunda maior economia do mundo diminuiu e o yuan está se estabilizando. Embora os indicadores técnicos acendam o alerta de superaquecimento do rali, o HSBC Holdings ainda está otimista.

"O humor internacional em relação à China está melhorando", disse Herald van der Linde, chefe de estratégia de ações do HSBC para a região Ásia-Pacífico em Hong Kong. "Os investidores ainda estão substancialmente underweight em relação à China. Nesse sentido, há muito chão pela frente".

O Shanghai Composite Index subiu 2,4 por cento na segunda-feira, estendendo o avanço de 1,6 por cento de sexta-feira e fechando acima de sua média móvel de 200 dias pela primeira vez em um ano. As ações foram elevadas pelas especulações de que a atividade de fusões no setor imobiliário aumentará e que o banco central ampliará os estímulos. As ações em Shenzhen e em Hong Kong também subiram depois que a reguladora do mercado de títulos disse que a conexão entre as bolsas das duas cidades, há muito adiada, começará em 2016.

O Hang Seng China Enterprises Index subiu 1,6 por cento na segunda-feira, para o nível mais elevado deste ano. O indicador acumula alta de 8,4 por cento neste mês, melhor desempenho entre os 94 índices globais monitorados pela Bloomberg, enquanto o índice Bloomberg China-US Equity deu um salto de 8,3 por cento e o índice de Xangai subiu 4,9 por cento. O MSCI All-Country World Index está em alta de 1,2 por cento.

O otimismo do investidor estrangeiro em relação às ações chinesas é uma mudança drástica em relação ao que se viu no início do ano. Em fevereiro, o índice das chamadas ações H estava sendo negociado ao nível mais fraco desde 2009 e as avaliações eram as mais baixas da história porque a preocupação com a desaceleração econômica da China e com a pesada intervenção estatal nos mercados financeiros da China continental geraram saídas de capital.

"Os investidores estrangeiros estavam muito cautelosos em relação à China e agora que eles viram mais evidências de que a economia macro está se estabilizando isso deu a eles confiança para retornar ao mercado da China", disse Geoff Lewis, estrategista sênior para a Ásia da Manulife Asset Management em Hong Kong.

Para entrar em contato com o repórter: Kana Nishizawa em Hong Kong, knishizawa5@bloomberg.net, Para entrar em contato com a editora responsável: Telma Marotto tmarotto1@bloomberg.net.

©2016 Bloomberg L.P.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos