Praxair e Linde negociam voltar à união criada há um século

Aaron Kirchfeld e Julia Hirsch

(Bloomberg) -- Uma fusão entre a Praxair e a Linde reuniria a empresa americana de gás industrial com a companhia alemã que a criou há mais de um século.

Durante anos, as duas empresas examinaram de forma intermitente a possibilidade de se fusionar para formar a maior fornecedora mundial de gases industriais como o oxigênio, segundo pessoas com conhecimento do assunto que solicitaram não ser identificadas. Após uma pausa, as negociações por uma combinação feita na íntegra em ações, na qual cada parte seria dona de participações similares, ressurgiram há alguns meses e progrediram nas últimas semanas, disseram as pessoas.

Até este ano, as grandes transações no setor de gases industriais tinham sido poucas e esporádicas. A oferta de US$ 13 bilhões da Air Liquide pela Airgas, anunciada no ano passado e concluída em maio, provavelmente estimulou as negociações entre a Linde e a Praxair, disse Markus Mayer, analista do Baader Bank. Após anos de negociações malsucedidas pela troca de ativos e pelo excesso de capacidade, os principais fornecedores de gases como o oxigênio para hospitais e usinas de aço tiveram que estudar soluções mais profundas para achar crescimento e aumentar margens.

"Uma fusão entre iguais faria sentido", disse Christian Faitz, analista da Kepler Cheuvreux. "Em se analisando a exposição geográfica, elas encaixam. Haverá obstáculos regulatórios, mas no setor de gás industrial, eles podem ser eliminados bastante rapidamente com vendas únicas".

Economia de custos

Praxair foi fundada em 1907 por Carl von Linde, pioneiro da refrigeração que ajudou a fundar a empresa que leva seu nome. A empresa se separou do grupo Union Carbide e se tornou independente em 1992. Uma fusão com sua antiga controladora com sede em Munique poderia chegar a gerar 800 milhões de euros (US$ 903 milhões) em economia de custos, o qual impulsionaria as margens, disse Mayer, do Baader.

Em comunicados publicados na terça-feira, a Linde e a Praxair disseram que "negociações preliminares" para uma possível fusão estão em andamento, sem dar mais detalhes. A Linde está trabalhando com a Perella Weinberg Partners e com o Morgan Stanley, e o Credit Suisse Group assessora a Praxair, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

As discussões estão progredindo e um acordo poderia ser alcançado em questão de semanas, disseram pessoas com conhecimento do assunto. Termos de um acordo, entre eles a razão de swap de ações, as funções administrativas, as vendas de ativos e a economia de custos, continuam sendo negociados e as negociações ainda podem fracassar, disseram as pessoas. O valor de mercado de US$ 33,7 bilhões da Praxair se compara com os 25,9 bilhões de euros da Linde, com base no preço de encerramento da segunda-feira.

Pressão

Uma possível fusão entre a Praxair e a Linde atrairia o exame dos órgãos reguladores da concorrência, disse Jason Miner, analista da Bloomberg Intelligence. A Air Liquide foi obrigada a vender ativos para cumprir exigências antitrustes pela sua aquisição da Airgas.

"A Air Liquide se transformou na maior empresa mediante aquisições, portanto talvez as outras tenham se sentido pressionadas", disse Ulle Wörner, analista do Landesbank Baden-Württemberg. "O crescimento tem sido limitado nestes últimos anos porque o setor de gás industrial depende da produção industrial global, que não está crescendo com tanta força quanto antes."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos