Bolsas

Câmbio

Peso mexicano não terá trégua com aumento de riscos globais

Isabella Cota

(Bloomberg) -- Para os investidores que apostam em águas mais calmas para o peso mexicano após a eleição presidencial nos EUA, o melhor analista da moeda tem algumas notícias ruins: o próximo Donald Trump está próximo.

O peso deverá sair perdendo independente de o candidato republicano chegar ou não à Casa Branca na eleição do mês que vem, afirma Juan Carlos Rodado, diretor de pesquisa para a América Latina da Natixis North America e analista mais preciso no terceiro trimestre, segundo os rankings da Bloomberg.

Ele estima que o peso, visto como indicador da aversão global ao risco, cairá para 20 por dólar até o fim do ano, contra 18,99 agora, porque a análise dos investidores vai além da eleição e já abarca o próximo grande acontecimento.

Antes de Trump, foi o Brexit (o peso caiu quase 4% no dia posterior à decisão dos eleitores britânicos, em referendo, de deixar a União Europeia).

Depois de Trump, vários choques podem fazer com que os investidores corram para vender o peso a descoberto novamente a fim de proteger suas carteiras de mercados emergentes. Os problemas do Deutsche Bank, o referendo italiano e o mercado do petróleo estão na lista de possíveis surpresas que poderiam minar o apetite global por risco, diz Rodado.

"Os níveis da taxa de câmbio do México continuam sendo determinados por acontecimentos globais", disse Rodado, de Nova York. "Não vejo nada além de fatores pessimistas."

A projeção de Rodado contrasta com a de alguns de seus pares, incluindo Banco Itaú e Nomura Holdings, que estimam que o peso se recuperará para 17,50 e 17,30 por dólar, respectivamente, se Trump perder a eleição.

Trump, que culpa o livre comércio com países como o México pela queda da manufatura nos EUA, prometeu reformular acordos comerciais, deportar imigrantes ilegais e construir um muro ao longo da fronteira sul dos EUA.

O peso se tornou a segunda moeda mais volátil do mundo neste ano entre as mais importantes e recentemente acompanhou os altos e baixos da tumultuada campanha de Trump (a moeda não estava sequer entre as cinco mais importantes antes de Trump se transformar em possível candidato, no início de maio.

A moeda do México registrou a maior queda do mundo no início do ano quando Trump subiu nas pesquisas de opinião e está se valorizando agora que ele está em queda.

Considerando o discurso ríspido de Trump, muitos bancos divulgaram duas projeções para o peso que dependiam do resultado da eleição dos EUA. Rodado liberou três.

Em caso de vitória da rival democrata de Trump, Hillary Clinton, o peso ficará em uma média de cerca de 19,50 por dólar no ano que vem, segundo ele. Se Trump vencer e não conseguir aprovação para suas propostas mais extremas, a taxa de câmbio poderia ficar em torno de 20 por dólar. Mas se Trump e suas medidas ganharem aprovação, Rodado prevê queda para 22.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos