Bolsas

Câmbio

Casais felizes não compram diamantes pela web como antigamente

Polly Mosendz

(Bloomberg) -- Um diamante já não é mais para sempre. Dura até que você enjoe dele, coloque-o à venda na internet e compre outro.

As expectativas modernas em relação aos anéis de noivado ficaram mais fluidas do que as futuras heranças familiares buscadas pelas gerações anteriores. Assim como praticamente todas as outras compras, os anéis de diamante mudam de dono com frequência na internet, longe de um joalheiro com uma lupa na mão.

Este continua sendo um momento de instabilidade para o setor de diamantes, mas o mercado de anéis no eBay cresceu 58% nos últimos cinco anos, e a consignação digital de joias ficou mais segura e popular.

Este momento de transição torna particularmente interessante observar o que aconteceu na segunda-feira com a antiga pioneira das vendas de diamante pela internet. A Blue Nile, que começou a vender diamantes pela web em 1999 e abriu seu capital em 2004, cancelou sua conferência de divulgação dos resultados do terceiro trimestre para anunciar que será adquirida pela Bain Capital Private Equity e pela Bow Street.

A transação somente em dinheiro avalia a vendedora de diamantes em cerca de US$ 500 milhões, aproximadamente 34% acima do valor da Blue Nile no fechamento na tarde de sexta-feira.

O anúncio da transação chega em um momento de incerteza em relação ao futuro dos anéis de noivado, uma compra que ficou sob pressão, em parte, por causa da mudança dos consumidores da geração Y.

O grupo demográfico com 18 a 35 anos está se casando mais tarde que os integrantes da geração X e os baby boomers, que consolidaram o vínculo entre diamantes e matrimônios.

A geração Y, como se sabe, tem menos para gastar na casa dos vinte do que as gerações anteriores, por causa do acúmulo de dívidas estudantis e porque entrou no mercado de trabalho logo após a crise financeira. O custo médio de um anel de noivado nos EUA ronda os US$ 6.000.

Compreensivelmente, os lojistas estão preocupados com a abordagem da próxima geração em relação aos noivados. A Associação de Produtores de Diamante lançou no ano passado uma campanha publicitária de US$ 18 milhões para convencer os consumidores mais jovens de que as alianças de diamante não passaram de moda.

Antes de anunciar a privatização, a Blue Nile informou uma queda de 8,5% nas vendas líquidas de anéis de noivado nos EUA durante o trimestre recente, em relação ao mesmo período há um ano.

Quando escolhem se comprometer, as noivas de hoje em dia não estão optando exatamente pelo mesmo que suas antecessoras. Kieron Hodgson, analista de commodities e mineração da Panmure Gordon & Co, disse que o tradicional anel de noivado de diamante encontrado em uma joalheria comum vem perdendo terreno para alternativas personalizadas ou antigas.

Uma aliança de uma loja de diamantes famosa, onde anéis idênticos e produzidos em massa são exibidos, perde certo brilho neste contexto. Alguns consumidores estão buscando gemas coloridas em vez de diamantes, acrescentou Hodgson.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos