Como a Jaguar reconstruiu o supercarro XKSS, uma lenda de 1957

Thomas Gibson

(Bloomberg) -- O novo supercarro da Jaguar está sendo preparado há 60 anos. Não espere trocas de marchas no volante, ABS, nem mesmo o luxo dos vidros elétricos. Além do visual vintage, o XKSS também tem recursos vintage.

Tecnicamente, trata-se de um "carro de continuação", um tipo especial de réplica no qual a produção é interrompida, mas depois retomada usando o design e os métodos originais (como esse Superformance MKII Slab Side Cobra ou o Lightweight E-type da própria Jaguar).

O XKSS original foi feito para o mercado americano como uma conversão para as ruas do D-type vencedor de Le Mans em 1954, até um incêndio destruir a fábrica de Browns Lane da Jaguar, em 1957. Como resultado, foram produzidos apenas 16 de uma série de 25 unidades.

Não surpreende que os carros que sobreviveram tenham alcançado um alto valor na atualidade. Steve McQueen possuía um com valor estimado em mais de US$ 30 milhões.

O novo modelo XKSS foi revelado na quarta-feira no Salão do Automóvel de Los Angeles, um carro único lançado após 18 meses de pesquisa e construção. Ele será usado como modelo para as nove unidades colecionáveis que a Jaguar começará a produzir em 2017.

Segundo Kev Riches, gerente de engenharia da Jaguar Classic, filial da companhia que se concentra basicamente na remodelação e na manutenção de clássicos da Jaguar, o projeto XKSS se resume a substituir aqueles nove veículos perdidos no incêndio.

"Para mim, é quase como recriar uma obra de arte", disse ele. "Como verdadeiros fãs de carros, a ideia era construir um carro autêntico - e tentar fazer com que eles fossem o mais fiel possível aos que eram fabricados naquela época."

A equipe da Jaguar Classic usou desenhos originais dos arquivos da companhia e os complementou com tecnologia moderna, como o escaneamento do carro para construir modelos 3D para ajudar a fabricá-los usando métodos retrô, autênticos.

Os painéis de aço e alumínio foram laminados à mão em rodas inglesas, como nos anos 1950. Algumas porcas foram reproduzidas porque já não podem ser compradas.

"O projeto buscou construir aquele carro perfeito para as especificações da época, usando o máximo possível o jeito da época", disse Riches.

Sob o capô, o XKSS tem um motor de seis cilindros em linha de 3,4 litros com 262 cavalos de potência. A companhia afirma que tudo, da madeira do volante até o couro dos assentos e o bronze do painel, foi feito exatamente como em 1957, com pequenas mudanças apenas para adaptar o modelo às exigências de segurança do século 21.

Os nove carros que serão fabricados foram vendidos quase imediatamente a um seleto grupo de compradores internacionais. Riches estima que cada modelo foi vendido por cerca de US$ 1,5 milhão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos