Bolsas

Câmbio

Starbucks agora aceita pagamentos pelo app WeChat na China

Bloomberg News

(Bloomberg) -- O WeChat permite que os usuários enviem mensagens de texto aos amigos, postem selfies e paguem o combustível por meio de um smartphone. A partir de hoje, o exitoso aplicativo chinês, conhecido como Weixin Pay na China, pode ser usado também para comprar um Java Chip Frappuccino.

O Starbucks informou na quinta-feira que aceitará o sistema de pagamentos em cerca de 2.500 lojas na China, possibilitando que os clientes realizem compras fazendo um escaneamento pelo telefone deles. Após o acordo com a Tencent Holdings, a empresa com sede em Seattle, EUA, se une a redes estrangeiras como KFC, Disney e Uniqlo adotando pagamentos móveis sem dinheiro, onipresentes na China.

Cerca de 200 milhões de consumidores utilizam o Weixin Pay e o Alipay (sistema da afiliada financeira da Alibaba Group Holding) em lojas físicas devido à facilidade e à velocidade com que os consumidores podem efetuar compras. Algumas redes internacionais têm resistido às transações digitalizadas devido aos custos envolvidos na mudança dos sistemas de pagamento e ao temor de que os dados coletados possam violar a privacidade do cliente.

"A aceitação de pagamentos móveis desbloqueia um enorme valor para o Starbucks", disse Shaun Rein, diretor-gerente da China Market Research Group, em entrevista. "Como eles não conseguiam fazer os clientes avançarem na fila mais rapidamente, eles estavam perdendo 5% a 10% dos negócios."

A Starbucks China não respondeu imediatamente às perguntas enviadas por e-mail sobre a decisão de adotar o Weixin Pay. A Costa Coffee, sua concorrente no ramo de cafeterias no país, começou a aceitar pagamentos móveis há mais de um ano, aproximadamente na mesma época que as redes de fast food McDonald's e KFC.

O anúncio de quinta-feira é um alívio para consumidores como Tong Wei. O executivo de seguros de 32 anos disse que estava desanimado vendo a fila em frente a uma loja do Starbucks, na semana passada, no distrito comercial de Lujiazui, na região central de Xangai.

Longa espera

"As filas são sempre muito grandes no Starbucks porque as pessoas demoram muito para pagar", disse ele. "Se houvesse outra opção perto eu não viria mais aqui."

Essa era uma reclamação comum na China, onde os pagamentos móveis têm força. Quatro de cada 10 consumidores usam seus telefones celulares para efetuar pagamentos em lojas físicas e restaurantes, segundo a empresa de pesquisa Emarketer, que projeta que a proporção aumentará em breve para a metade.

Muitos consumidores da China, especialmente os de menos de 30 anos, não levam nada além de seus telefones ao saírem para almoçar ou fazer compras.

"Essa é uma realidade que não podemos ignorar", disse Chris Reitermann, CEO da Ogilvy & Mather China. "Os pagamentos móveis são algo tão grande e tão influente que não dá para não fazer parte. Eu tenho certeza que dentro de seis meses não haverá uma loja na China que possa se dar ao luxo de não aceitá-los -- o mercado é simplesmente grande demais."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos