'Fechem o Twitter', pedem investidores de câmbio no México

Brendan Walsh e Isabella Cota

(Bloomberg) -- Uma ideia estranha circula entre os investidores cambiais mexicanos. Bem, na verdade é mais uma piada, mas que tem certa lógica.

A história é assim: em vez de gastar suas preciosas reservas para defender o peso, o México deveria simplesmente comprar o Twitter -- a um custo de cerca de US$ 12 bilhões -- e imediatamente desativá-lo.

A ideia repercutiu nesta semana depois que o banco central revelou que já torrou US$ 2 bilhões em reservas em um esforço em grande parte inútil de defender o peso contra o fluxo constante de tweets anti-México de Donald Trump.

"Eu sugiro que façam isso logo", brincou Juan Carlos Alderete, estrategista de câmbio do Banorte-Ixe, na Cidade do México. "Porque no momento mal temos o suficiente para a compra."

Explosões em 140 caracteres

A verdade é que ninguém acredita de fato que isso vá acontecer. E é difícil imaginar que a medida tivesse efetividade. Mas a ideia, levantada até em programas de humor, mostra a frustração dos mexicanos com o fato de sua economia e o valor de suas reservas estarem à mercê das reflexões aparentemente aleatórias em explosões de 140 caracteres da conta de Trump no Twitter.

Trata-se de um sentimento que, presume-se, seria compartilhado por investidores americanos em empresas como General Motors ou Lockheed Martin, por exemplo, mas no México o sofrimento, e o desespero que o acompanha, parece ter uma escala muito maior.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos