Bolsas

Câmbio

Aposentados ricos dos EUA continuam economizando

Ben Steverman

(Bloomberg) -- Há um tempo na vida de todo mundo para guardar dinheiro. Há também supostamente um momento para gastar. Esse tempo é conhecido como aposentadoria.

Contudo, milhões de americanos não estão fazendo isso, colocando os EUA em uma situação perversa. As gerações mais novas não estão guardando o suficiente, já que sua renda está retrocedendo em relação à das gerações anteriores. Por outro lado, os americanos idosos possuem uma pilha sem precedentes de ativos acumulados em booms dos mercados acionário e imobiliário.

Mas esses aposentados, ou pelo menos os ricos, não estão gastando esse dinheiro. É porque eles têm medo do desconhecido.

Um novo estudo mostra que muitos americanos aposentados continuam economizando mesmo depois de se aposentarem. O americano médio com mais de 60 anos reduz os gastos em 2,5 por cento ao ano, ou seja, cerca de 20 por cento durante um período de 10 anos, segundo uma análise de dados de pesquisas da Universidade de Michigan feita pela empresa de software de planejamento financeiro United Income. Por essa razão, milhões de americanos vivem de uma maneira muito frugal, disse Matt Fellowes, CEO da United Income. Em média e ajustando pela inflação, os aposentados chegam aos 80 anos mais ricos do que quando tinham 60 e 70 anos.

Como era de imaginar, considerando os dados, os americanos estão morrendo com mais dinheiro do que antes, aumentando a crescente desigualdade derivada da riqueza herdada. A United Income analisou o patrimônio de pessoas que faleceram entre 2000 e 2002 e os comparou com os de pessoas que morreram entre 2010 e 2012. Apesar de o segundo grupo ter acabado de passar por uma crise financeira e uma recessão mundial, seus patrimônios eram 130 por cento mais altos.

Medo

Outros estudos concluíram que os americanos idosos e ricos acumulam dinheiro. No ano passado, um estudo do Jornal of Financial Planning concluiu que a quinta parte mais rica dos aposentados americanos gastava 53 por cento a menos do que podia. E que os 40 por cento mais pobres geralmente gastam mais do que deveriam; a mediana de aposentados gastou cerca 8 por cento a menos do que o valor seguro.

Pesquisadores analisaram todos os motivos lógicos pelos quais os aposentados ricos eram tão conservadores, inclusive o desejo de deixar uma herança ou preocupações com futuras necessidades de saúde. O grande motivador foi uma versão do medo de ficar sem dinheiro muito cedo.

"Nós concluímos que até mesmo no pior cenário possível, eles poderiam ter gasto mais", disse o professor da Texas Tech University Christopher Browning, um dos autores do estudo. "Tem que haver outras explicações", disse ele -- motivos que não são racionais.

Um desses motivos irracionais poderia ser o simples hábito. Algo estranho acontece quando as pessoas aposentam, diz Browning. De repente, elas não ganham um salário regularmente e ficam com medo de gastar. Os objetivos fixados antes da aposentadoria são abandonados juntamente com planos de gastos pré-determinados, porque os aposentados ficam apavorados ao ver os saldos de suas contas de aposentadoria diminuírem até mesmo um pouquinho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos