Bolsas

Câmbio

Combate à imigração explicaria consumo menor de gasolina nos EUA

Sarah Ponczek e Laura Blewitt

(Bloomberg) -- Nesta época do ano a demanda por gasolina nos EUA normalmente aumenta porque as pessoas saem de viagem durante as férias de verão em um país com milhões de veículos a mais do que qualquer outro. Mas a situação mudou em 2017 e um fator que estaria contribuindo para isso é a possibilidade de os imigrantes ilegais estarem dirigindo menos.

Parte da culpa pela desaceleração pode ser dos preços mais altos nas bombas, mas o Barclays Capital afirma que outro elemento possível é a repressão à imigração. Desde a posse do presidente Donald Trump, em janeiro, o governo está usando cada vez mais as fiscalizações de trânsito de rotina das polícias locais para encontrar e deportar pessoas sem documentos válidos. Não existem dados de rastreamento dos hábitos de condução desse grupo, mas há quem diga que os imigrantes estão evitando dirigir para não serem encontrados.

"A política de imigração gerou muito medo nas comunidades de imigrantes ilegais", disse Paul Cheng, analista de pesquisa de ações do Barclays Capital em Nova York, por e-mail. Este fator, por si só, pode ter reduzido o uso de gasolina na Costa Oeste, onde reside a maioria dos imigrantes ilegais, em 0,8 por cento nos quatro primeiros meses do ano, estimou o banco em maio.

A demanda doméstica por gasolina diminuiu na primeira quinzena de junho com base na média móvel de quatro semanas, segundo dados da Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês). Nos cinco primeiros meses de 2017, as vendas nos postos de gasolina diminuíram 1,6 por cento, o que contrasta com o aumento de 0,5 por cento registrado no mesmo período do ano anterior, segundo dados do Serviço de Informações de Preços de Petróleo (Opis, na sigla em inglês).

Não se sabe qual é a quantidade de gasolina utilizada pelos trabalhadores ilegais. Mas a população é significativa. Em 2014, a Califórnia tinha um total estimado de 2,35 milhões e o Texas, 1,65 milhão, segundo dados da Pew Research Center, uma think tank apartidária. Os números representam cerca de 6 por cento da população total de cada estado. O total nos EUA é de cerca de 11 milhões.

"As pessoas simplesmente estão com medo de sair, independentemente de que isso ocorra enquanto dirigem para o trabalho ou para a escola ou sendo apanhadas pelo ICE na esquina de casa", disse Edwin Carmona-Cruz, diretor de desenvolvimento da La Raza Centro Legal, uma organização de direitos legais com sede em São Francisco, citando a sigla do Serviço de Imigração e Controle de Aduanas dos EUA.
As prisões de imigrantes subiram 38 por cento nos 100 dias posteriores à promulgação das ordens executivas de Trump voltadas à imigração, no fim de janeiro, segundo o ICE. Enquanto isso, as tentativas de travessia das fronteiras na região sudoeste do país, do Texas à Califórnia, caíram 47 por cento nos cinco primeiros meses de 2017 em relação ao ano anterior, mostram dados do ICE.

A Casa Branca não respondeu aos pedidos de comentários.

Título em inglês: Fuel Demand Slump May Have Link to U.S. Immigrant Crackdown

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos