PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Mineradoras dos EUA buscam carvão com mais conteúdo de calor

Emma Ockerman e Tim Loh

18/10/2017 14h51

(Bloomberg) -- No início do ano que vem, três grandes usinas de energia movidas a carvão do Texas fecharão para sempre. A ausência delas será sentida a 1.600 quilômetros de distância, nas minas de carvão de Wyoming e Montana.

Lá, na bacia do rio Powder, rica em energia, as mineradoras extraem há décadas um carvão barato, mas com conteúdo de calor menor que as toneladas extraídas de outros lugares na região -- porque este é o tipo de carvão que usinas como as três que a Vistra Energy está aposentando no Texas preferem. Na verdade, duas dessas geradoras são clientes dessas minas de qualidade inferior. E à medida que essas e outras unidades antigas saem de cena, levam consigo a demanda por esse carvão, obrigando as mineradoras a voltarem o foco a fontes mais quentes que as usinas mais enxutas vão querer comprar.

O carvão presente na bacia do rio Powder que "tem um futuro melhor" é do tipo que possui pelo menos 8.800 unidades térmicas britânicas de calor por libra-peso, mais que o carvão de 8.400 BTUs que também é extraído lá, disse Jeremy Sussman, analista da Clarksons Platou Securities, por e-mail. Outros tipos de carvão com conteúdo menor de energia enfrentarão cada vez mais pressão devido a desativações como as da Vistra, disse ele.

A transição para um carvão de qualidade superior mostra como as mineradoras dos EUA estão dobrando a aposta sobre seus melhores ativos para lucrar após o fechamento de centenas de usinas de energia que queimavam o combustível fóssil em todo o país. O gás natural barato que flui das prolíficas formações de xisto consumiu uma fatia tão grande da participação do carvão no mercado de energia dos EUA na última década que o mineral, que antes fornecia metade da eletricidade do país, hoje responde apenas por um terço.

A desativação das usinas não fechará todas as minas de carvão de 8.400 BTU, disse Matt Preston, analista de carvão da Wood Mackenzie. Mas a situação "ficará muito mais difícil do que antes" para elas.

A mineradora Cloud Peak Energy parece comprovar essa tendência. A empresa ampliou a produção em minas que produzem carvão com 8.800 a 9.300 BTUs, disse Mark Levin, analista da Seaport Global Securities, em nota, na terça-feira. A mina da empresa em Wyoming, Cordero Rojo, que tem margem pequena e produz carvão de 8.400 BTUs, por sua vez, registrou sua produção trimestral mais baixa em mais de um ano.

Mina Rawhide

As usinas de Big Brown e Monticello, duas das três plantas fechadas pela Vistra no Texas, compravam carvão da mina da Peabody Energy em Wyoming, a Rawhide, operação que fornece carvão de 8.400 BTUs, mostram dados compilados pela Administração de Informação de Energia dos EUA.

O porta-voz da Peabody, Vic Svec, disse que a empresa antecipou fechamentos de usinas de carvão da ordem de 50 gigawatts previstos para os próximos cinco anos e espera que as plantas que continuam funcionando operem em níveis elevados, a ponto de compensar grande parte da demanda eliminada pelos fechamentos.

PUBLICIDADE