PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Acidente aéreo nos EUA pode ter sido primeiro causado por drone

Alan Levin

16/02/2018 13h47

(Bloomberg) -- A aterrissagem acidentada de um helicóptero na Carolina do Sul nesta semana pode ter sido provocada por um drone civil. Este seria o primeiro acidente aéreo vinculado a um drone nos EUA.

O incidente ocorrido na quarta-feira envolveu um estudante e um instrutor de pilotagem, que disseram aos investigadores que um pequeno drone apareceu diretamente na frente deles, segundo uma pessoa familiarizada com uma investigação do governo federal. Eles tomaram medidas evasivas para evitar uma colisão, e a cauda do helicóptero atingiu uma árvore, o que provocou o pouso forçado.

Nem o piloto nem o aluno se machucaram, mas parece que a cauda do helicóptero sofreu danos significativos, disse a pessoa, que não estava autorizada a falar publicamente sobre a investigação.

O R22 da Robinson Helicopter caiu por volta das 14 horas perto de Charleston, segundo um comunicado da Agência Federal de Aviação dos EUA (FAA, na sigla em inglês). A FAA não confirmou o possível papel do drone. O Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos EUA (NTSB, na sigla em inglês) está ciente dos relatos iniciais de que um drone pode ter se envolvido no acidente e está reunindo informações sobre o caso, disse o porta-voz Chris O'Neil por e-mail na quinta-feira.

A investigação do acidente é o segundo possível incidente com um drone em menos de uma semana e chega em um momento em que grupos do setor de aviação exigem regulamentações mais estritas para o uso de drones civis após notícias de outros casos em que esses dispositivos quase provocaram colisões.

Nos EUA, os drones normalmente estão limitados a voos até 121 metros acima do solo e dentro do campo de visão do operador. Eles também devem ficar longe das aeronaves tradicionais. No entanto, entre os milhares de relatórios da FAA sobre possíveis incidentes de segurança com drones, muitos parecem envolver voos ilegais.

Embora o tipo de drone que pode ter provocado o acidente na Carolina do Sul não tenha sido verificado, a maior fabricante civil do mundo, a chinesa SZ DJI Technology, publicou um comunicado sobre o episódio na noite de quinta-feira.

"A DIJ está tentando obter mais informações sobre o incidente e está pronta para ajudar os investigadores", afirmou a empresa. "Embora não possamos comentar sobre o que pode ter acontecido, a DJI é líder do setor na criação de soluções educacionais e tecnológicas para ajudar pilotos a manter os drones longe das aeronaves tradicionais."

O número crescente de episódios e um sistema regulatório que dificulta a monitoração dos voos de drones assustam os grupos de aviação tradicionais.

"A probabilidade de colisão entre um drone e uma aeronave de passageiros está aumentando", segundo uma carta dirigida aos legisladores dos EUA que foi enviada nesta semana pela Airlines for America, associação do setor que representa as grandes companhias aéreas, pela Air Line Pilots Association e pela National Air Traffic Controllers Association, os sindicatos que representam os pilotos e os controladores de voo.

PUBLICIDADE