ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 1.Ago.2018
Topo

Megarresort de esqui na Áustria está melhor do que nunca

David Rocks

22/02/2018 14h00

(Bloomberg) -- É um dia frio com sol radiante no topo do St. Anton am Arlberg, o resort famoso pelas competições nas alturas dos Alpes e pelas festas noturnas, situado ao longo do Desfiladeiro de Arlberg, no oeste da Áustria. Os picos escarpados que se estendem por quilômetros em todas as direções continuam tão impressionantes quanto eram quando eu visitei essa vasta região pela primeira vez há duas décadas.

Agora talvez estejam ainda mais impressionantes. Da última vez que eu estive aqui, esquiadores e snowboarders passavam praticamente o dia todo em um único lugar. Zürs, uma cidade vizinha de St. Anton, estava tentadoramente perto -- e a passagem do teleférico era até a mesma. Mas para ir do Valluga, a montanha de 2.800 metros de altitude que é o ponto de largada da maior pista da região, até lá era preciso descer até a cidadezinha de Alpe Rauz, pegar um ônibus e atravessar o desfiladeiro, um jeito muito complicado de ir de uma cidade a outra e um enorme desincentivo para fazer isso mais de uma vez durante uma semana de férias.

Hoje, um bondinho conecta as duas cidades. Em cinco minutos, ele nos leva por cima da montanha Trittkopf e nos deixa nas pistas de Zürs. As melhorias realizadas nas últimas quatro temporadas incluem um teleférico com cadeiras que conecta Lech e Warth e novos bondinhos em Zürs e Stuben. Juntos, eles transformaram um conjunto de cidadezinhas da região de Arlberg, que já era uma das maiores sensações da Europa, em um megarresort de luxo.

O lugar para se hospedar depende do que você está procurando. St. Anton é o centro das festas, com uma rua principal animada cheia de bares e discotecas que ficam abertos até tarde. O programa après-ski é difícil de superar, com ícones globais como Mooserwirt, Krazy Kangaruh e Taps -- todos localizados diretamente nas pistas. Durma em uma das espaçosas suítes do Tannenhof, em Nasserein, na parte alta da cidade; no amplo Schwarzer Adler, na rua principal; ou no Alte Post, ao lado da histórica estação de trem.

Lech é mais familiar, com uma atmosfera mais tranquila e hotéis mais sofisticados. Aqui après-ski significa tomar um spritz de Aperol no terraço do Hotel Aurelio ou comer salmão defumado com batatas Rösti no Zur Kanne em Oberlech. Na Kriegeralpe, uma das cabanas da cidadezinha no topo da montanha, você achará uma das melhores versões do Kasspätzle -- uma versão austríaca do macarrão com queijo americano, mas melhor, com macarrão grosso cortado à mão e queijo picante da montanha. E para aqueles que amam o conforto cinco estrelas existe a opção do recém-reformado Almhof Schneider, cujas suítes e salas espaçosas são modernas (com muita madeira, vidro e pedra de design exclusivo), mas ainda conservam a tradição de Arlberg.

Finalmente, Zürs é a prima menor e mais aconchegante das duas cidades maiores -- com apenas alguns edifícios tradicionais situados em um vale estreito. Faça check-in no Alpenhof do Thurnher na rua principal, onde o terraço do último andar oferece espreguiçadeiras com vistas deslumbrantes sobre os picos. Nas pistas, ficam o Trittalp (com seu goulash e Gröstl) e a Trittkopf BBQ Station com costelas apimentadas, porco desfiado e hambúrgueres?,? no topo do novo bondinho.

Mais Economia