PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Soja pode roubar trono do milho nos EUA após 35 anos

Jeff Wilson

22/02/2018 13h21

(Bloomberg) -- Pela primeira vez em 35 anos a soja deverá roubar do milho a coroa de rei da safra nos EUA.

Os produtores americanos deverão ampliar o plantio de soja para um recorde de 36,7 milhões de hectares, segundo a estimativa média de uma pesquisa da Bloomberg com 21 traders e analistas. O plantio de milho deverá cair para 36,4 milhões. A última vez em que a soja superou o milho foi em 1983, quando os pagamentos do governo eram baseados nos hectares ociosos.

Se a situação parecer familiar, não é por acaso. A esta altura do ano passado os analistas esperavam ver a soja no primeiro lugar porque a safra já oferecia prêmios melhores. E apesar de os produtores terem semeado mais oleaginosa do que nunca, essas plantações não superaram as de milho por pouco porque o clima temperado favoreceu este grão.

A diferença neste ano é a seca.

Cerca de 16 por cento do cinturão do milho já experimenta condições de seca e há previsão de um período maior de clima seco no início da temporada de crescimento. A soja, o trigo e o algodão são mais tolerantes à seca do que o milho.

Prêmios no preço

Os preços também estão favorecendo a soja, já que os futuros para a negociação da safra deste ano estão 2,5 vezes mais elevados do que os contratos do milho. Este é o quinto ano seguido em que a oleaginosa oferece retornos melhores.

Depois de anos de preços deprimidos das safras, essas diferenças nos preços ganham mais importância do que nunca -- basta perguntar a Julie Burgod. Aos 52 anos, ela cultiva 1.821 hectares e cria bezerros perto de Ipswich, Dakota do Sul, com o marido e o filho. Eles já planejam reduzir os hectares de milho pela metade para abrir caminho para a soja, porque o grão "não paga as contas". Burgod também possui uma agência de seguros de colheitas e disse que muitos de seus clientes fazem eco a esse sentimento.

"A soja é o rei e o milho é a rainha", disse Burgod. "Além disso, estamos preocupados com o solo seco no decorrer de 2018."

O Departamento de Agricultura dos EUA divulgará as primeiras estimativas de plantio para a temporada em sua conferência anual sobre perspectivas, que começa nesta quinta-feira em Arlington, Virgínia.

Seca nas Planícies

O clima seco é mais agudo nas Grandes Planícies, no norte do país. Em Dakota do Norte, as condições de seca cobrem 65 por cento do estado, contra zero no ano passado, segundo o Monitor da Seca dos EUA.

O solo árido limita as opções de plantio, segundo Jim Diepolder, fazendeiro e negociante de sementes e produtos químicos agrícolas perto de Willow City, Dakota do Norte. As condições reduzem as chances de que o cultivo de milho gere os rendimentos necessários para compensar financeiramente a opção dos fazendeiros pelo grão. A cevada também está menos atraente porque uma série de colheitas abundantes ampliou os estoques, levando as empresas cervejeiras a reduzirem os contratos de fornecimento.