PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Documento da UE agravará tensão com Londres por Brexit: Fontes

Ian Wishart, Timothy Ross e Birgit Jennen

27/02/2018 15h22

(Bloomberg) -- A União Europeia desafiará Theresa May na quarta-feira quando publicar um rascunho do tratado do Brexit que ignora algumas das exigências mais importantes da primeira-ministra do Reino Unido.

O bloco planeja apresentar com detalhes legais como espera que o Reino Unido se separe em pouco mais de um ano e as condições de um período de transição subsequente, segundo uma pessoa familiarizada com o assunto. Um representante alemão acrescentou que os 27 países-membros se opõem a uma prorrogação do período de transição.

As negociações sobre a etapa de transição que as empresas querem para ajudar a facilitar a separação do Reino Unido continuam em andamento, mas provavelmente o esboço do acordo da UE, de 100 páginas, excluirá as propostas de May sobre como essa etapa deveria funcionar, disse a pessoa.

Também é provável que o documento descarte um compromisso fundamental que May busca na seção sobre a futura fronteira terrestre entre o Reino Unido e a Irlanda, disse a pessoa.

Um representante sênior do governo britânico alertou que os esboços da UE devem refletir com precisão as posições de ambas as partes e sugeriu que o bloco está usando o documento para tentar impor a própria vontade em vez de produzir um texto equilibrado.

Conjuntura delicada

O conflito chega em uma semana fundamental para o processo do Brexit. Em um discurso que pronunciará na sexta-feira, May deve anunciar sua visão para a futura parceira comercial entre o Reino Unido e o bloco na esperança de influenciar a perspectiva da UE, que será apresentada em uma cúpula daqui a três semanas.

Seu atual rival, o líder trabalhista Jeremy Corbyn, apresentou sua própria versão do Brexit, que foi vista mais favoravelmente por Bruxelas do que o plano de May. Considerando sua situação precária, com apenas uma maioria mínima no Parlamento, May não pode se dar ao luxo de cometer erros.

Antes mesmo de ela intervir, as negociações entre o Reino Unido e a UE devem chegar a um acordo sobre o período de transição que entrará em vigor a partir de 29 de março de 2019 - exatamente dois anos após May ter iniciado o processo.

Tensão

As negociações têm sido tensas, com desacordos sobre os direitos dos cidadãos da UE que se mudarem para o Reino Unido durante o período. Essa é uma luta que o Reino Unido está percebendo que poderia perder.

Um representante disse que o documento detalharia três questões sobre a separação entre o Reino Unido e o bloco, incluindo os 40 bilhões de libras esterlinas (US$ 56 bilhões) que o país prometeu pagar. Também abrangerá assuntos que não foram concordados na primeira etapa das negociações, terminada em dezembro, disse o representante.

O documento é somente um esboço nesta etapa, e a UE projeta que ele será revisado. Ambas as partes querem que o documento esteja pronto para assinar até outubro ou, no máximo, até o final do ano.