PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Risco de câncer em alguns empregos públicos nos EUA

Josh Eidelson

22/05/2018 13h14

(Bloomberg) -- Localizada no National Mall, a poucos passos do Monumento a Washington, a imponente sede do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) abriga funcionários que monitoram a saúde e a segurança dos alimentos do país. Mas algumas pessoas que trabalham lá estão começando a se preocupar com a própria saúde.

De acordo com o sindicato que representa os funcionários do USDA, eles estão sendo expostos a riscos devido ao amianto e à pintura à base de chumbo, que são agentes cancerígenos. A Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA, na sigla em inglês) abriu uma investigação sobre o edifício em 29 de março, em resposta à queixa de um funcionário. O sindicato acusou a administração de não avisar sobre a presença de amianto, não reduzir o nível de chumbo e de não manter barreiras físicas seguras e herméticas entre as obras em andamento e os funcionários que trabalham nas mesas próximas.

"Aqui tem muita gente que está preocupada e sente que sua saúde não está sendo levada em conta", disse Sherrie Carter, especialista em finanças e empréstimos empresariais do Serviço de Serviços Públicos Rurais da agência e presidente de uma unidade sindical afiliada à American Federation of State, County and Municipal Employees (Afscme). "Isto deveria ter sido feito de forma muito diferente", disse ela.

Para piorar a situação, disse Carter, a recente campanha do USDA contra o trabalho em home office está impedindo que os "funcionários trabalhem em um lugar seguro". Ela disse que vários funcionários se queixaram de que "estavam passando mal por causa dessas reformas e nós os aconselhamos a a entrarem em contato com os supervisores imediatos e solicitar "trabalhar em casa ou serem transferidos".

Comunicado

Em comunicado, o USDA confirmou as obras de redução de chumbo e amianto, mas rejeitou as acusações do sindicato de que os funcionários não receberam advertência suficiente nem permissão para trabalhar em casa. A agência preferiu não comentar as acusações específicas de que os funcionários não contavam com proteção suficiente contra materiais perigosos e só afirmou que tinham sido realizados "procedimentos de proteção". (A Afscme afirmou que o USDA ainda não respondeu à sua queixa formal, apresentada em 15 de março. A resposta deve chegar em meados de junho, de acordo com o sindicato).

O amianto e a pintura à base chumbo são "os dois principais perigos" associados à reforma de prédios e o governo federal às vezes não consegue lidar com eles de forma segura em suas propriedades, disse David Michaels, um professor de Saúde Pública da George Washington University que dirigiu a OSHA no governo de Barack Obama. "É preciso fechar a área", disse ele sobre os procedimentos de redução. "Essa barreira deve ser instalada -- e ser impermeável."

Fotos proporcionadas pela Afscme mostram um escritório coberto com uma lona e marcado com um cartaz que diz "PERIGO AMIANTO", alertando sobre o risco de câncer e danos nos pulmões e instruindo as pessoas a usarem proteção respiratória e roupa de proteção quando estiverem na área. "O USDA não levou nem está levando a sério este problema de saúde", disse Marjorie Galanos, analista financeira do USDA que contou que o pai morreu por envenenamento com amianto em 2003 por causa de seu trabalho com instalação e conserto de ares-condicionados. "Isto é uma ofensa."