PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Roche encontra obstáculos para venda de remédio contra hemofilia

Naomi Kresge

24/05/2018 12h14

(Bloomberg) -- O Hemlibra, da Roche Holding AG, inda não conseguiu abocanhar o mercado de hemofilia, avaliado em US$ 10 bilhões.

O novo medicamento mostrou ser pelo menos tão eficaz quanto o tratamento padrão atual, e muito mais prático, em dois estudos divulgados nesta semana. A Roche está trabalhando em um pedido de aprovação nos EUA, informou a empresa com sede na Basileia, Suíça, na quarta-feira. Mas alguns médicos e investidores preferem esperar, porque acreditam que o verdadeiro potencial do Hemlibra só ficará claro depois que o remédio passar um tempo no mercado.

O remédio de US$ 450.000 anuais terá de enfrentar uma categoria de medicamentos chamada terapia de reposição de fator VIII, que fornece aos pacientes com hemofilia A o componente que falta para o sangue coagular. Esses remédios podem ser incômodos, chegando a exigir infusões intravenosas várias vezes por semana. No entanto, como estão disponíveis há cerca de 25 anos, eles já são bem conhecidos, o que é valioso para pacientes jovens que terão décadas de tratamento pela frente.

"Substituir este tipo de droga vai levar algum tempo", disse Wolfram Ruf, diretor científico do Centro de Trombose e Hemostasia em Mainz, na Alemanha. "Você gostaria de começar a usar uma nova droga se seus pacientes já usassem uma droga estabelecida que não tem grandes efeitos colaterais?"

Mudança a longo prazo

O Hemlibra provavelmente mudará a prática a longo prazo, disse Ruf, e a praticidade para os pacientes será um fator importante. O Hemlibra é aplicado por injeção, por isso sua administração é muito mais fácil que a das reposições de fator VIII, que precisam ser infundidas na corrente sanguínea. Além disso, os resultados de um dos estudos divulgados nesta semana mostraram que ele pode ser administrado com uma frequência menor, uma vez por mês.

Pacientes em um estudo da Roche também tiveram melhores resultados após trocar o fator VIII pelo Hemlibra como tratamento preventivo. Juntos, os resultados indicam que o remédio da Roche deverá se tornar o novo tratamento padrão, com vendas anuais de até US$ 5 bilhões, segundo analistas da Jefferies.

"Realmente temos aqui uma história de sucesso para o Hemlibra", disse Gallia Levy, líder da equipe de desenvolvimento de hemofilia da Roche, em uma teleconferência com investidores na quarta-feira. "Na verdade, superamos nossas próprias expectativas."

O analista médio está um pouco menos otimista que a Jefferies. As vendas do Hemlibra podem chegar a US$ 2,4 bilhões até 2022, de acordo com estimativas compiladas pela Bloomberg.

"Esperávamos que a eficácia fosse muito boa, e ela foi", disse Jack Scannell, analista do UBS Group em Londres. A população de pacientes pode se dividir, disse ele, entre os pacientes que detestam a terapia de fator VIII e farão a troca imediatamente e aqueles que vão esperar para decidir. "Alguns provavelmente terão conversas com médicos que dirão: 'O Hemlibra pode ser ótimo, mas você tem 25 anos e terá hemofilia por décadas - quer fazer a troca logo ou prefere esperar um ano, para deixar 10.000 pessoas experimentarem e poder ver o que acontecerá? '"