PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Vancouver tem dor de cabeça dupla: salários baixos e casas caras

Natalie Obiko Pearson

13/07/2018 12h04

(Bloomberg) -- Quer comprar um imóvel com preço de São Francisco tendo renda de Columbus, Ohio, nos EUA? Mude-se para Vancouver, no Canadá.

As autoridades de Seattle até Boston lamentam a crescente crise de acessibilidade urbana nos EUA, mas um novo estudo sobre preços de residências e salários abrangendo mais de 100 grandes áreas metropolitanas dos EUA e do Canadá mostra Vancouver em uma situação própria.

A mediana do preço de uma residência em Vancouver, ajustada pela paridade do poder de compra, é de US$ 672.000 -- cara, mas ainda 15 por cento a 26 por cento inferior aos preços de San Jose e São Francisco, os dois mercados imobiliários mais caros dos EUA, segundo Andy Yan, diretor do programa urbano da Universidade de Simon Fraser, cujo estudo contabilizou a diferença de poder de compra de um dólar considerando diferentes localidades e moedas.

O que coloca Vancouver no topo dos rankings de inacessibilidade são os baixíssimos salários. Na terceira maior cidade do Canadá, a mediana da renda familiar equivale a US$ 61.036 por ano -- e em comparação com a renda familiar de cidades americanas, está em linha com a de Columbus e é inferior à de Omaha, no Nebraska, à de Kansas City, no Missouri, e até à de Lancaster, na Pensilvânia, uma comunidade rural de 59.000 habitantes conhecida por seus milharais.

O mercado imobiliário da cidade canadense da Costa do Pacífico registra desaceleração após intervenção das autoridades com uma série de medidas para moderar a demanda, entre elas um imposto para compradores estrangeiros e regras mais rigorosas para as hipotecas, assim como taxas de juros mais altas. As vendas atingiram o menor patamar em cinco anos no mês passado e o número de residências no mercado chegou ao maior nível em três anos.

Mas os números mostram como será difícil reduzir o déficit de acessibilidade após um período de alta que triplicou o preço da residência típica de 2005 para cá.

"De duas, uma: os preços dos imóveis de Vancouver precisam cair pela metade para atingir um certo nível de acessibilidade ou os salários precisam dobrar", disse Yan.

Uma correção direta poderia ser devastadora -- a incorporação imobiliária é o maior setor da província e a habitação é um dos principais motores da economia local. A duplicação dos salários é um objetivo extremamente ambicioso -- similar, em escala, à meta de 10 anos que a China estabeleceu para si.

"Esta é a tarefa hercúlea que Vancouver tem pela frente", diz Yan.