PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Alphabet quer construir `cidade digital' de madeira em Toronto

Stefanie Marotta e Natalie Wong

15/08/2018 13h10

(Bloomberg) -- A "cidade do futuro" de Larry Page na orla de Toronto pode acabar tendo um pé firmemente enraizado no passado.

A Sidewalk Labs, a unidade de inovação urbana da Alphabet, estuda construir edifícios na comunidade altamente tecnológica de 4,9 hectares só com a tecnologia de vigas altas - produtos de madeira que, segundo seus defensores, são tão fortes e resistentes ao fogo quanto os materiais de aço ou concreto.

Se a proposta for aprovada, Quayside, que incluirá cerca de 3.000 unidades residenciais, seria o maior projeto imobiliário construído principalmente com vigas altas de madeira, disse Karim Khalifa, diretor de inovações em construção da Sidewalk Labs, na terça-feira. O uso da tecnologia para resolver problemas urbanos é um interesse especial de Page, cofundador da Alphabet, que está usando o projeto em Toronto como uma espécie de caso de teste.

"Construir tantos edifícios de uma vez com 279.000 metros quadrados de madeira é um conceito tão audacioso" que o projeto precisaria do apoio de incorporadoras imobiliárias para ser realizado, disse Khalifa em entrevista à Bloomberg em um evento para dar notícias sobre o projeto. A Sidewalk Labs conversou com incorporadoras como a Mattamy Homes sobre uma colaboração com as vigas altas, que possibilitam um fator de emissão mais baixo que os materiais de construção tradicionais, são mais sustentáveis, podem ser erigidas mais rapidamente e são mais baratas de financiar, disse Khalifa.

Obstáculos

A madeira tem sido usada na construção de casas ao longo da história, mas a construção com vigas altas emprega materiais como a madeira laminada cruzada - painéis de madeira feitos com a colagem de camadas de madeira - e aos poucos tem conquistado adeptos em vários países, da Áustria ao Japão. A Katerra, uma startup de construção do Vale do Silício que é financiada pelo Softbank Group, adquiriu neste ano a Michael Green Architecture, uma veterana da construção com vigas altas que tem sede em Vancouver.

A construção com vigas altas de madeira também poderia aparecer em breve em Toronto no "The Arbour", um edifício de 12 andares que foi proposto para a George Brown College no litoral leste da cidade.

Mas a Sidewalk Labs precisará superar vários obstáculos para que o projeto se torne realidade, como o fato de que o código de construção de Toronto atualmente só autoriza a construção de seis andares com vigas altas. Projeta-se que esse limite seja ampliado para 12 andares até 2021, mas a Sidewalk Labs planeja torres de até 50 andares.

A empresa já enfrentou muitos obstáculos em Toronto, como uma análise intensa sobre como vai processar a grande quantidade de dados que pode compilar.

O projeto ocupará 325 hectares do litoral leste, um dos maiores terrenos urbanos subaproveitados no continente. A Sidewalk Toronto dedicou US$ 50 milhões ao planejamento do projeto e espera ter uma perspectiva mais clara até janeiro. Dan Doctoroff, CEO da Sidewalk Labs, foi CEO da Bloomberg e vice-prefeito de Nova York no mandato de Michael Bloomberg, fundador da Bloomberg.

Repórteres da matéria original: Stefanie Marotta em Toronto, smarotta11@bloomberg.net;Natalie Wong em Toronto, nwong133@bloomberg.net