ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Bancos europeus fecham acordo para testar hipotecas ecológicas

Mathew Carr

24/09/2018 15h12

(Bloomberg) -- Trinta e nove bancos europeus concordaram em testar um novo tipo de hipoteca ecológica por meio da qual os tomadores de empréstimos asseguram que suas propriedades cumpram uma série de padrões de eficiência energética.

Os padrões propostos estão sendo estabelecidos pela organização World Green Building Council e respaldados, por exemplo, pelo banco francês BNP Paribas e pela empresa de serviços públicos alemã EON. Eles ressaltam como grupos industriais e investidores estão avançando em direção aos empréstimos ecológicos.

"Estamos abrindo o mercado de títulos verdes para residências", disse Terri Wills, CEO do conselho, em entrevista. As hipotecas poderiam ser agregadas em títulos verdes, ampliando o mercado atualmente concentrado em propriedades comerciais, disse.

Durante os testes, os bancos estudarão ofertar hipotecas verdes com descontos para clientes dispostos a gastar mais para melhorar propriedades ou a construir novos edifícios que economizem em energia ou em custos com gás natural. Os descontos fazem sentido porque os donos de propriedades ecológicas enfrentam menos riscos de crédito pelo fato de gastarem menos em energia e enfrentam gastos futuros menores com equipamentos. Além disso, as propriedades com eficiência energética mantêm o valor por mais tempo.

O relatório surge em um momento em que os bancos europeus se movimentam para garantir que os empréstimos e investimentos sejam compatíveis com os compromissos globais contra as mudanças climáticas assumidos no Acordo de Paris.

"Milhões de proprietários de imóveis estão perdendo a chance no sentido de economia de custo, valores mais altos de imóveis e casas mais confortáveis devido à falta de financiamento acessível para investir na melhoria da eficiência energética", disse Michael Lewis, CEO da unidade britânica da EON.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia