ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Processo da SEC eleva risco de saída de Musk e derruba Tesla

Matt Robinson e Ben Bain

28/09/2018 13h13

(Bloomberg) -- O conselho da Tesla apoiou o CEO Elon Musk depois que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) processou o bilionário pelo explosivo tweet de agosto sobre fechar o capital da fabricante de carros elétricos fundada por ele. As ações caíam mais de 10 por cento nesta sexta-feira.

A SEC defende multas não especificadas e, principalmente, pedirá à Justiça que Musk seja proibido de atuar como executivo ou diretor de empresas de capital aberto, informou a agência em ação judicial aberta em Nova York. Musk enganou os investidores com a falsa afirmação de que havia conseguido recursos para a transação, diz o processo.

A Tesla e seu conselho "confiam plenamente em Elon, em sua integridade e em sua liderança na empresa", afirmaram, em declaração conjunta, na quinta-feira. "Nosso foco continua sendo a aceleração contínua da produção do Model 3 e o cumprimento com nossos clientes, acionistas e funcionários."

A possibilidade de Musk perder o controle da Tesla gerou nervosismo entre os investidores, já preocupados com a capacidade da empresa de produzir carros com rapidez suficiente para começar a gerar lucros. Eles se desfizeram das ações, aprofundando a forte queda iniciada em agosto quando a afirmação sobre fechar o capital foi desmentida.

"As declarações de Musk foram falsas e enganosas", disse Stephanie Avakian, codiretora da divisão de fiscalização da SEC, em entrevista coletiva, em Washington. "Não tinham qualquer base de realidade."

No processo e na entrevista coletiva, os representantes da SEC mostraram disposição para esclarecer a falta de cuidado e o comportamento errático do CEO da Tesla -- como a ameaça de "queimar" vendedores a descoberto que miravam as ações da Tesla e a tentativa de agradar a namorada, a cantora pop Grimes, incluindo uma referência à "cultura da maconha" na afirmação sobre o fechamento do capital da empresa (ele fixou um preço de compra de US$ 420, número escolhido, em parte, por ser um código para o consumo de maconha).

Musk, um perseverante empreendedor cujo nome está intimamente ligado à Tesla, disse que o processo é "injustificado" e o deixou "profundamente triste e decepcionado".

"Sempre agi de acordo com os interesses da verdade, da transparência e dos investidores", disse, em comunicado. "A integridade é o valor mais importante da minha vida e os fatos mostrarão que nunca abri mão disso de nenhuma maneira."

A Tesla, que tem sede em Palo Alto, na Califórnia, não foi mencionada no processo da SEC.

A SEC havia trabalhado em um acordo com Musk que a instituição preparava para apresentar na quinta-feira de manhã, informou o Wall Street Journal, citando pessoas não identificadas familiarizadas com o assunto. Os advogados de Musk telefonaram para os advogados da SEC para dizer que haviam perdido o interesse em prosseguir com o acordo, segundo a reportagem.

Antes mesmo do tweet a respeito do fechamento de capital, a SEC já investigava problemas na Tesla, incluindo suas projeções de vendas de carros. Além do processo da SEC, o Departamento de Justiça dos EUA também está apurando se Musk enganou os investidores, noticiou a Bloomberg News.

Elon Musk@elonmuskAm considering taking Tesla private at $420. Funding secured.

Sent via Twitter for iPhone.

View original tweet.

--Com a colaboração de Patricia Hurtado, Joshua Fineman, Tom Schoenberg, Jesse Hamilton, Jamie Butters e Dana Hull.

Repórteres da matéria original: Matt Robinson em N York, mrobinson55@bloomberg.net;Ben Bain em Washintgon, bbain2@bloomberg.net

Mais Economia