PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Traders acusados alegam que conversa era blefe, não conluio

Bob Van Voris e Lananh Nguyen

17/10/2018 12h19

(Bloomberg) -- Três traders britânicos acusados de conspirar para manipular o mercado de câmbio, de US$ 5,1 trilhões por dia, estavam na verdade jogando "fix poker" -- ou seja, blefando entre si para ganhar dinheiro, e não cooperando para fraudar o sistema, segundo um advogado de um dos homens.

Os integrantes do grupo de traders conhecido como "O Cartel" escondiam o jogo uns dos outros, sugeriu Michael Kendall, advogado do trader Richard Usher, do JPMorgan Chase, em acareação com a principal testemunha do governo, Matt Gardiner, um ex-trader de câmbio do Barclays e do UBS.

Em algumas oportunidades eles distorceram completamente suas posições, compartilharam informações incompletas e mentiram a respeito de suas transações, disse Kendall. Eles nem sempre divulgavam uns aos outros informações obtidas fora da sala de bate-papo, disse.

"Às vezes você compartilhava e às vezes guardava para si, certo?", perguntou Kendall.

"Sim", respondeu Gardiner.

Os promotores afirmam que Usher, Rohan Ramchandani, um ex-trader do Citigroup, e Christopher Ashton, ex-chefe de operações de trading de câmbio à vista do Barclays, usaram a sala de bate-papo para manipular o mercado de câmbio e ganhar dinheiro para seus empregadores. A defesa tenta provar que os três traders estavam mais interessados em ganhar dinheiro para si, mesmo que fosse à custa dos demais integrantes do grupo.

Antes, em seu depoimento, Gardiner havia declarado que dentro de O Cartel havia um "acordo de cavalheiros" para que os integrantes não prejudicassem uns aos outros nas transações.

"Estamos tentando ajudar uns aos outros", disse ao tribunal federal de Manhattan. "E quando compartilhava uma posição aberta, não esperava que usassem essa informação contra mim."

Kendall reproduziu para Gardiner gravações de telefonemas que Usher manteve com pessoas de fora da sala de bate-papo para respaldar o argumento de que eles às vezes trabalhavam uns contra os outros. "Fix poker" é um termo que Gardiner usava quando alguém exagerava uma posição de trading em benefício próprio, segundo uma transcrição que Kendall mostrou a ele.

Em um bate-papo em 2009 com um trader de fora de O Cartel, Gardiner afirmou que precisava comprar 400 milhões de euros (US$ 463 milhões), mas depois revelou que na verdade estava interessado em 11 milhões de euros e riu em uma mensagem a respeito.

"fix poker hahaha."

Kendall também perguntou sobre o uso da frase "One Team, One Dream" ("Um Time, Um Sonho") pelo grupo, que Gardiner disse ser um antigo slogan motivacional do Citibank. Kendall disse que outro participante do setor escreveu: "one team one dream one pint" ("um time um sonho uma cerveja").

"Eu diria mais de uma cerveja", disse Gardiner aos jurados, gerando risadas no tribunal.

Gardiner concordou com Kendall que O Cartel não era o nome da sala de bate-papo, mas um apelido dado a eles por alguém de fora do grupo. Gardiner disse que o nome da sala de bate-papo era alterado com frequência. Eles também usaram "Clueless" ("Sem noção"), "FX is Tricky" ("Câmbio é complicado") e "Thinking of Quitting" ("Pensando em desistir").

Os quatro homens de O Cartel conversavam eletronicamente todos os dias úteis, desde a manhã até o fim do expediente, e se tornaram bons amigos, disse Gardiner. Além de informações sobre o mercado e piadas internas, o grupo muitas vezes compartilhava notícias sobre amigos e familiares.

Agora eles estão em lados opostos no tribunal. Gardiner obteve uma promessa do governo dos EUA de que não seria processado como compensação por seu depoimento. Os outros três podem pegar até 10 anos de prisão se condenados.

--Com a colaboração de Vincent Cignarella.

Repórteres da matéria original: Bob Van Voris em federal court in Manhattan, rvanvoris@bloomberg.net;Lananh Nguyen em N York, lnguyen35@bloomberg.net