PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Colecionadores de Porsche e Ferrari geram apostas imobiliárias

Anita Sharpe e Brian Welcher

19/10/2018 14h59

(Bloomberg) -- Construir uma adega para a sua coleção de Lafites e Latours ou abrir algum espaço na parede para seus Richters e Basquiats é fácil. Agora tente encontrar espaço para uma dúzia de Ferraris, Porsches e Plymouth Barracudas.

Alguns empreendedores e investidores estão vendo uma oportunidade nesse dilema. Armazéns de carros com capacidade para guardar 100 ou mais veículos caros estão começando a aparecer nos EUA, segundo colecionadores de carros e gestores de patrimônio que estão testemunhando a tendência.

"Existe demanda para isso", diz o colecionador de carros Henry Robertelli, sócio do fundo de hedge Axius Holdings, que está construindo uma garagem de 650 metros quadrados em um espaço de armazenamento na região suburbana de Atlanta cinco vezes maior que isso para o caso de ele querer uma expansão.

De fato, muitos armazéns estão sendo construídos pelos próprios colecionadores de carros, como o empresário de mídia de Los Angeles Matt Farah, que disse que tentou por "muitos anos ser cliente de alguém". Ele está construindo uma garagem de 1.300 metros quadrados perto da praia, na região oeste de Los Angeles, que comportará 140 carros. Ele tem uma lista de espera de 85 pessoas já montada, dispostas a pagar entre US$ 850 e US$ 1.500 por mês pelas vagas de estacionamento quando a instalação for inaugurada, no terceiro trimestre do próximo ano, disse.

'Muito dinheiro'

O processo dura quatro anos, disse Farah, que apresenta um podcast semanal chamado "The Smoking Tire" ("O pneu fumegante"), cujo canal homônimo no YouTube conta com mais de 850.000 assinantes. Ele demorou dois anos para encontrar o terreno certo e mais dois para elaborar o projeto de US$ 10 milhões com padrões rigorosos de incêndio e segurança; o prédio deve ser capaz de resistir a um terremoto de 12 pontos -- "literalmente, um apocalipse", disse.

Se o armazém tiver o sucesso que ele espera, o desejo é expandir para outros mercados que compartilhem características residenciais similares aos da região litorânea de Venice, em Los Angeles: "meu modelo de negócio se baseia em colocar essas instalações em lugares de muito dinheiro sem estacionamentos".

Colecionar carros, claro, não é nenhuma novidade. Basta lembrar de Jay Leno, com sua frota de 100 veículos, ou de Jerry Seinfeld, que possui dezenas de Porsches. Os condomínios para carros também existem há algum tempo e atendem principalmente a clientes seletos que podem equipar os espaços de suas garagens com bares, cozinhas completas e, em alguns casos, até mesmo cinema.

O que mudou é que o passatempo está começando a atrair um interesse generalizado entre os ricos, que há muito se dedicavam a objetos de luxo fáceis de armazenar, como vinhos finos e obras de arte abstrata.

"Eu faço isso há tempos e tenho visto uma mudança, de fato, nos últimos dois anos", disse Timothy Sheehan, diretor sênior da BNY Mellon Wealth Management em Atlanta. "Antes as pessoas queriam ter uma grande coleção de arte contemporânea ou colecionar vinhos, e agora os ricos estão indo atrás de carros."

Repórteres da matéria original: Anita Sharpe em Atlanta, asharpe6@bloomberg.net;Brian Welcher em Atlanta, bwelcher2@bloomberg.net