ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Wall Street cria nova forma de aposta em ações baratas

Yakob Peterseil

31/10/2018 14h28

(Bloomberg) -- Comprar na baixa voltou a funcionar em Wall Street. As chamadas ações de valor estão passando à frente das ações de empresas de rápido crescimento. É uma tendência preocupante em um mercado que subiu durante uma década. Mas é também outra forma de geração de ganhos via notas estruturadas.

O Credit Suisse Group está promovendo um novo produto que ganha se ações de valor - ou seja, que estão baratas segundo diversas métricas - superam ações de crescimento. Se acertarem, os detentores das notas podem obter 12 por cento de retorno em um ano. Se errarem, podem perder tudo.

Trata-se de uma nova estratégia em Wall Street para aproveitar a tendência do momento, após o lançamento de produtos dedicados a investidores individuais envolvendo diversos tipos de aposta ? das ações de gigantes de tecnologia ao formato da curva de juros.

Neste mês, as ações mais baratas foram um refúgio para investidores, caindo apenas 5,8 por cento enquanto o S&P 500 recuou 8 por cento, além de superem a categoria de gigantes de tecnologia, que foi responsável pela maior parte dos ganhos nas bolsas nos últimos anos.

A tendência mais recente começou em setembro e levou estrategistas a recomendar a migração para ações de múltiplos baixos em um ambiente de alta dos rendimentos dos títulos de renda fixa.

"Muitos podem estar procurando oportunidades no segmento de valor em meio à queda das bolsas", disse Jodie Gunzberg, responsável por ações dos EUA da S&P Dow Jones Indices. A procura por pechinchas fez com que as ações de grande e médio valor de mercado dos EUA registrassem a maior vantagem sobre ações de crescimento desde 2016, segundo ela.

Crescimento intacto

Nem todos acreditam que esse desempenho continuará melhor por muito tempo. State Street e Joh Berenberg Gossler continuam fãs de companhias com projeção de rápida expansão, por duvidarem que o crescimento global esteja prestes a recuar.

"O rebote das ações de valor teve vida curta", escreveu Mayank Seksaria, estrategista-chefe de macroeconomia da Macro Risk Advisors, em relatório. "Vemos uma justificativa macroeconômica mais forte para a curva de juros continuar a trajetória de achatamento, o que tende a prolongar o desempenho inferior das ações de valor se esse relacionamento se manter ou ficar mais robusto."

Seja qual for a categoria que prevalecer, aparentemente os provedores de notas estruturadas também vão ganhar.

Wall Street emitiu aproximadamente US$ 4 bilhões em papéis do tipo neste mês, apesar do salto na volatilidade das bolsas nos EUA, que costuma ser interpretada como obstáculo para o segmento porque os investidores ficam mais retraídos. Essas notas ? que empacotam estratégias de opções em um formato acessível para investidores individuais ? registraram US$ 13 bilhões em vendas no trimestre passado, ou 25 por cento a mais do que um ano antes.

Com remuneração atrelada à performance relativa dos índices S&P Value e S&P Growth, a nota estruturada do Credit Suisse efetivamente proporciona posição comprada no índice de valor e posição vendida no índice de crescimento - sem forçar investidores a tomar ações emprestadas ou negociar derivativos.

As notas incluem desconto subjacente e pagamento de comissão de até 2,25 por cento para o Morgan Stanley Smith Barney, de acordo com um prospecto preliminar.

Mais Economia